Meteorologia

  • 21 SETEMBRO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 22º

Edição

ONU e Colômbia alertam para insuficiência da ajuda externa

As Nações Unidas e as autoridades colombianas alertaram hoje para a insuficiência por parte da comunidade internacional para ajudar os deslocados venezuelanos que se refugiaram na Colômbia.

ONU e Colômbia alertam para insuficiência da ajuda externa

O alerta foi lançado pelo representante especial do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados (ACNUR) e da Organização Internacional para as Migrações (OIM) para os refugiados venezuelanos, Eduardo Stein, e pelo chefe da diplomacia colombiana, Carlos Holmes Trujillo, em conferência de imprensa realizada em Bogotá.

Eduardo Stein disse que a Colômbia recebeu menos de um terço da ajuda financeira necessária para ajudar a crescente crise migratória da Venezuela, considerando que o número de venezuelanos que opta por se refugiar no país vizinho "ultrapassou largamente" a capacidade de assistência colombiana.

Mais de 1,4 milhões de venezuelanos encontram-se registados como refugiados na Colômbia.

"A mobilização de recursos (da comunidade internacional) continua a ser insuficiente se se tiver em conta que nos últimos três meses a Colômbia recebeu mais de 111 mil novos migrantes", ascendendo agora a 1.408.055 o total de venezuelanos que atravessaram a fronteira para fugir à crise económica, social e política no seu país, referiu Carlos Holmes Trujillo.

Ao apresentar o balanço do dinheiro recebido, Holmes Trujillo recordou que dos 315 milhões de dólares (284 milhões de euros) previstos para atender à crise, até maio a comunidade internacional apenas libertou "20,9%, ou seja, 66 milhões de dólares (59 milhões de euros)".

A Venezuela vive uma crise social, económica e política, com reflexos humanitários, desde que em janeiro passado Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional - onde a oposição é maioritária -, se autoproclamou Presidente interino, questionando e desafiando a legitimidade do chefe de Estado Nicolás Maduro.

No total, mais de quatro milhões de venezuelanos optaram por se refugiar noutros países, nomeadamente a Colômbia e o Brasil.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório