Meteorologia

  • 17 AGOSTO 2019
Tempo
29º
MIN 23º MÁX 33º

Edição

FBI e polícia de Nova Iorque fizeram rusga na ilha privada de Epstein

Autoridades norte-americanas apertam o cerco à alegada rede de tráfico sexual criada pelo magnata norte-americano, depois de ter sido encontrado morto na sua cela.

FBI e polícia de Nova Iorque fizeram rusga na ilha privada de Epstein
Notícias ao Minuto

17:00 - 14/08/19 por Notícias Ao Minuto 

Mundo Jeffrey Epstein

Dois turistas a passear de barco perto da ilha privada do milionário Jeffrey Epstein puderam testemunhar uma rusga por parte do FBI, a polícia do Departamento de Justiça dos Estados Unidos da América.

Foram captadas imagens de vários agentes federais em Little St. James (nas Ilhas Virgens Americanas) na segunda-feira, num vídeo que foi partilhado pela NBC News, que confirmou as buscas junto de dois oficiais próximos da investigação. Esta rusga aconteceu dois dias depois do Epstein ter sido encontrado morto na sua cela, onde estava detido desde o dia 6 de julho.

Um outro vídeo, partilhado pela CNBC, mostra agentes federais e da polícia de Nova Iorque (NYPD) dentro de uma casa, na mesma ilha, onde estariam a recolher provas materiais.

Aquela ilha caribenha tem vital importância no caso que envolve o magnata norte-americano, de 66 anos, por ser um dos locais onde, alegadamente, este recebia mulheres e menores de idade para encontros de cariz sexual.

Recorde-se que Epstein era acusado, pela procuradoria do distrito sul de Manhattan, de controlar um esquema de tráfico sexual e abuso sexual de menores, tendo alegadamente criado uma rede para abusar de dezenas de meninas na sua mansão de Nova Iorque e numa outra situada na Flórida.

O caso de Jeffrey Epstein adquire especial importância devido às relações de amizade que mantinha com personalidades norte-americanas de renome, nomeadamente com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Estão a ser feitas investigações paralelas, em Nova Iorque, sobre se eventuais associados de Epstein vão ser acusados por encobrimento, no que as autoridades já disseram ser, o seu incessante abuso sexual de menores.

Os dois guardas que tinham a responsabilidade de controlar Jeffrey Epstein na noite em que aparentemente se suicidou foram suspensos e o diretor da prisão retirado do cargo, anunciou o Departamento de Justiça norte-americano na terça-feira. A decisão foi anunciada depois das questões levantadas em relação à segurança do Centro Correcional Metropolitan, onde Epstein devia estar sob medidas de prevenção de suicídio, por ser considerado um risco. O sistema, que obrigava a vigilância de 30 em 30 minutos na sua cela, foi levantado sem razão aparente.

A forma como morreu não foi anunciada oficialmente. Uma autópsia foi feita no domingo, mas não foram reveladas informações.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório