Meteorologia

  • 14 OUTUBRO 2019
Tempo
19º
MIN 13º MÁX 19º

Edição

Ossos encontrados são demasiado antigos para serem de Emanuela Orlandi

Especialistas do Vaticano dizem que os ossos analisados não são de datas superiores ao século XIX, mas especialista contratado pela família de Emanuela Orlandi quer que sejam feitos mais testes. Jovem italiana desapareceu em 1983.

Ossos encontrados são demasiado antigos para serem de Emanuela Orlandi
Notícias ao Minuto

20:30 - 28/07/19 por Fábio Nunes 

Mundo Emanuela Orlandi

Um porta-voz revelou que foram dados por concluídos este domingo os trabalhos de análise forense em dois ossários que ficam debaixo do cemitério teutónico, situado no interior do Vaticano. De acordo com a AFP, os ossos analisados pela equipa de especialistas forenses liderada por Giovanni Arcudi não são recentes o suficiente para serem de Emanuela Orlandi, a jovem desaparecida em junho de 1983, quando tinha apenas 15 anos.

A equipa de especialistas não encontrou uma “estrutura óssea que datasse a um período superior ao século XIX”, pode ler-se num documento divulgado pelo Vaticano. No entanto, o especialista forense contratado pela família de Emanuela Orlandi já pediu a realização de mais testes a cerca de 70 ossos que Giovanni Arcudi não quis analisar por considerar que eram demasiado antigos para serem da jovem desaparecida.

Os ossos encontrados nos dois ossários do cemitério teutónico estão na posse da polícia do Vaticano, salvo nova decisão judicial.

Mantém-se assim o mistério em torno do desaparecimento de Emanuela Orlandi. No dia 11 de julho, foram abertos os túmulos de duas princesas teutónicas na sequência de uma mensagem misteriosa enviada ao advogado da família Orlandi e que apontava para a hipótese dos restos mortais da jovem estarem num dos túmulos.

Isso não se verificou e o mistério até se adensou, uma vez que os túmulos estavam vazios. Acredita-se que os restos mortais das princesas teutónicas terão sido transferidos para outro local, após o seu enterro.

Emanuela Orlandi apanhou um autocarro para uma aula de música no dia 22 de junho de 1983, mas não regressou a casa. A jovem era filha de um funcionário do Vaticano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório