Meteorologia

  • 23 SETEMBRO 2019
Tempo
23º
MIN 14º MÁX 25º

Edição

Iraniano-britânica detida no Irão em 2016 transferida para hospital

Uma iraniano-britânica detida em 2016 no Irão por alegados crimes de espionagem, Nazanin Zaghari-Ratcliffe, foi transferida para uma unidade psiquiátrica de um hospital em Teerão, anunciou hoje o marido.

Iraniano-britânica detida no Irão em 2016 transferida para hospital
Notícias ao Minuto

13:01 - 17/07/19 por Lusa

Mundo Nazanin Zaghari-Ratcliffe

Richard Ratcliffe, que reside no Reino Unido, revelou que a sua mulher foi levada na segunda-feira da prisão de Evin para a unidade psiquiátrica do hospital Iman Khomeini em Teerão, capital iraniana, onde está a ser vigiada pela Guarda Revolucionária do país.

A iraniano-britânica Zaghari-Ratcliffe, que trabalhava numa organização de solidariedade associada à agência de notícias Thomson Reuters, foi detida em abril de 2016 quando visitou o Irão com a filha.

As autoridades iranianas acusaram-na de conspirar contra o Governo, mas a família nega e diz que a mulher estava de visita aos membros da família que vivem no Irão.

No passado dia 15 de junho, Zaghari-Ratcliffe iniciou uma greve de fome para exigir a sua libertação terminando 15 dias depois.

Desde a sua entrada no hospital que Nazanin não teve contacto com os seus familiares.

Na terça-feira, o pai de Nazanin deslocou-se ao hospital embora não tenha tido permissão para vê-la.

Antes de ser transferida para o centro médico, a iraniano-britânica indicou aos seus familiares que "odiava" estar "no meio de um jogo político".

"Eu estava sã e feliz quando vim ao Irão ver os meus pais. Três anos depois, acabei num asilo. Deveria ser uma vergonha", lamentou Nazanin, segundo os meios de comunicação britânicos.

Num comunicado de imprensa, a campanha Libertar Nazanin admitiu que não sabe que tratamento Zaghari-Ratcliffe está a receber ou quanto tempo deve permanecer naquele hospital.

"Espero que a sua transferência para o hospital signifique que está a receber tratamento e cuidados, apesar da minha desconfiança das pressões que podem ocorrer a porta fechada", salientou o marido de Nazanin.

Em setembro de 2016, Zaghari-Ratcliffe foi condenada a cinco anos de prisão por participação em manifestações contra o regime em 2009, o que ela nega.

A pena foi confirmada em recurso em abril de 2017.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório