Meteorologia

  • 20 NOVEMBRO 2019
Tempo
15º
MIN 11º MÁX 16º

Edição

Pai ligou à polícia por causa de negro no prédio. "Papá, não faças isso"

Norte-americano começa a ligar à polícia em frente ao filho, na porta de entrada do prédio de casa. Criança suplicou que não o fizesse durante todo o tempo.

No passado dia 4 de julho, Wesly Michel, um afro-americano, estava à porta de um prédio, em San Francisco, à espera de um amigo. Um homem, acompanhado pelo filho, chega ao prédio e abre a porta para entrar, sendo seguido por Michel. O vídeo acima mostra como, em três minutos, o homem chama a polícia por causa de um “invasor”, mesmo perante as súplicas do filho para não o fazer.

O vídeo, que pode ver acima, começa com o homem a pedir a Michel, um engenheiro informático de 35 anos, que chame o amigo, que, aparentemente, não estava em casa. “Por favor, chame o seu amigo pelo intercomunicador e diga-lhe para descer e para o vir buscar”, pede o homem. Michel recusa-se, num troca de palavras sem qualquer violência. “Ele não tem que fazer isso, você pode só ir-se embora”, responde-lhe.

Ao lado do homem está uma criança que aparenta ter menos de oito anos. “Papá, não faças isso”, diz o menino, enquanto o pai inicia a chamada para a polícia. Michel, entretanto, já tinha avisado que estava a filmar todo o momento e que o pai iria ser “a próxima pessoa a aparecer na televisão”.

O homem é atendido pelas autoridades e avisa que tem na entrada do seu prédio um “invasor de propriedade privada” e que entrou atrás de si. O filho continua as súplicas: “Pai, por favor, para. Vamos embora. Pai, vamos. É o melhor, eu com concordo com ele, papá”.

A criança começa a chorar quando o pai descreve Michel às autoridades, por telefone. “Dê ouvidos ao seu filho, vá-se embora”, diz Michel. Entretanto, o amigo deste chega, vindo da rua.

“Eu disse-te, vamos embora agora”, atira a criança. “Papá, olha no que nos meteste. Vamos embora”, continua o menor. O homem, ainda assim, pede confirmação ao amigo de Michel de que é amigo dele, antes de terminar a chamada com a polícia, que não chega a deslocar-se ao local.

Em entrevista à CNN, Michel lamenta que ainda se tenha que lidar com este tipo de situações. “Infelizmente, este incidente é paradigmático da experiência que os afro-americanos enfrentam diariamente, em que somos questionados sobre se pertencemos aqui”, indicou.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório