Meteorologia

  • 17 JUNHO 2019
Tempo
16º
MIN 14º MÁX 17º

Edição

Japão pede cautela a navios e diz que não vai reagir militarmente

O Japão pediu hoje cautela aos navios japoneses após ataques contra dois petroleiros no mar de Omã, um deles de uma companhia de navegação japonesa, e garantiu que não tem intenção de enviar tropas para a região.

Japão pede cautela a navios e diz que não vai reagir militarmente
Notícias ao Minuto

11:14 - 14/06/19 por Lusa

Mundo Omã

Em conferência de imprensa, o ministro da Defesa do Japão, Takeshi Iwaya, indicou que a situação não é considerada uma ameaça iminente para o Japão.

Dois petroleiros, um norueguês e um japonês, foram na quinta-feira alvo de um ataque no mar de Omã, em pleno Golfo Pérsico, uma região já sob tensão devido à crise entre os Estados Unidos e o Irão.

Takeshi Iwaya referiu ainda que o Japão não considera que a chamada "Força de Autodefesa tenha necessariamente um papel a desempenhar neste momento" e que o país não pretende enviar militares para a região do Estreito de Ormuz em resposta aos ataques.

As autoridades japonesas pediram hoje cautela aos navios japoneses após os ataques de quinta-feira.

O alerta foi transmitido enquanto o Governo de Tóquio continua a recolher informações sobre o ataque, que ocorreu durante a visita oficial do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, a Teerão.

"Ainda não se sabe quem começou o ataque. Estamos a trabalhar para reunir informações", avançou o ministro dos Transportes japonês, Keiichi Ishii, em conferência de imprensa.

"Para garantir o funcionamento dos navios relacionados com o Japão, através das associações do setor, pedi que o alerta fosse dado aos navios que passam perto da área para que tomem o máximo de cuidado", acrescentou Ishii.

Num comunicado divulgado hoje pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros japonês, Tóquio descreveu o ataque como "um incidente sério que ameaça a paz e a prosperidade do Japão".

O Ministério salientou que garantir a segurança naval é "vital" para manter a ordem na comunidade internacional, acrescentando que o Japão continuará a colaborar com os países relevantes para "garantir a segurança na navegação".

Segundo a agência oficial iraniana Irna, os ataques ocorreram a menos de 30 milhas náuticas da costa do Irão.

A região tem vivido no último mês uma escalada das tensões entre os EUA e o Irão.

Washington, que tem endurecido sistematicamente as sanções económicas e diplomáticas contra Teerão após sair de um acordo internacional de 2015 sobre o nuclear iraniano, multiplicou no início de maio as suas tropas no Médio Oriente, acusando o regime iraniano de preparar ataques "iminentes" contra interesses americanos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório