Meteorologia

  • 21 JULHO 2019
Tempo
26º
MIN 24º MÁX 28º

Edição

Jornalista russo acusado de posse de droga libertado até julgamento

Ivan Golunov foi posto em prisão domiciliária depois de centenas de apoiantes protestarem na sede da polícia.

Jornalista russo acusado de posse de droga libertado até julgamento
Notícias ao Minuto

12:47 - 09/06/19 por Sara Gouveia 

Mundo Ivan Golunov

O jornalista russo detido e acusado de posse de droga foi libertado da prisão até ao julgamento e posto sob prisão domiciliária depois de o seu caso ter espoletado indignação pública. A decisão de mudar Ivan Golunov para casa surgiu após uma onda de apoio público por parte de jornalistas russos proeminentes e centenas de pessoas terem protestado à porta da sede da polícia durante o fim de semana.

Conta o Guardian que os tribunais russos raramente libertam suspeitos acusados em casos relacionados com droga. Os amigos e colegas de Ivan veem a decisão como uma pequena vitória, apesar de o jornalista ainda poder enfrentar até 20 anos de prisão se for condenado por posse de droga com intenção de venda. 

"Não tenho emoções", referiu ao jornal a editora-chefe da revista Meduza, onde o reporter trabalha. "Isto não é uma vitória, isto é um primeiro passo para libertar o Ivan". Galina Timchenko agradeceu ainda aos manifestantes por terem ajudado a proteger o jornalista, referindo que a sua vida poderia ter estado em risco no centro de detenção.

Ivan Gulunov investigou casos de corrupção estatal e de negócios ilícitos e estava a investigar um esquema de monopólio nos serviços funerários quando foi detido. Antes disso, conta o jornal, já tinha recebido várias ameaças.

O jornalista, de 36 anos, foi detido na passada quarta feira, e acusado formalmente este sábado por posse de droga com intenção de venda, um crime que acarreta uma pena de prisão que pode ir dos 10 aos 20 anos. As autoridades referem ter encontrado cerca de 4 gramas da droga sintética mefedrona numa mochila que pertencia a Ivan e mais de 5 gramas de cocaína num apartamento que ele teria alegadamente arrendado em Moscovo. O jornalista diz que a droga foi plantada e os seus amigos garantem que este raramente bebia e que nunca tomava drogas.

O caso tem sido marcado por várias irregularidades como o facto de Ivan ter sido agredido durante a detenção, tendo ficado com ferimentos nas costelas e no crânio, por ter recusado assinar o relatório policial sem a presença do seu advogado. Além disso, o médico que examinou o jornalista, mas que lhe recusou o internamento, escreveu na rede social Instagram: "Golunov, como jornalista, certamente não ganha nenhuma simpatia da minha parte (Eu, como sabem, sou uma pessoa extremamente conservadora, da URSS)". Noutro ato fora do comum, a polícia publicou fotografias de um laboratório de drogas caseiro que diziam pertencer a Ivan, mas mais tarde acabaram por apagar as fotografias com a justificação de que tinham sido publicadas online por engano.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório