Meteorologia

  • 18 OUTUBRO 2021
Tempo
18º
MIN 18º MÁX 27º

Edição

Irão exclui negociar sem mudança de "comportamento geral" dos EUA

Teerão excluiu hoje negociar com Washington sem uma mudança visível do "comportamento geral" dos Estados Unidos, após o chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, assegurar estar pronto a dialogar "sem condições prévias" com a República Islâmica.

Irão exclui negociar sem mudança de "comportamento geral" dos EUA
Notícias ao Minuto

18:08 - 02/06/19 por Lusa

Mundo Teerão

"A mudança do comportamento geral e dos atos dos Estados Unidos em relação à nação iraniana é o critério" que será tido em conta antes de qualquer eventual negociação, declarou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Abbas Moussavi.

Adiantou que "a República Islâmica do Irão não tem em conta jogos de palavras e a utilização de uma nova linguagem para exprimir objetivos secretos".

"A ênfase posta por Pompeo na continuação de uma pressão máxima sobre o Irão mostra a continuação do mesmo comportamento defeituoso que deve ser corrigido", disse ainda Moussavi, citado num comunicado do ministério.

Após várias semanas de um crescendo da tensão entre Washington e Teerão, o secretário de Estado norte-americano declarou hoje que os Estados Unidos estão prontos a dialogar com o Irão "sem condições prévias".

Pompeo adiantou, no entanto, que se manterá "o esforço norte-americano para parar as atividades nefastas da República Islâmica e da sua força revolucionária".

O chefe da diplomacia dos Estados Unidos falava na Suíça, país que representa os interesses norte-americanos em Teerão na ausência de relações diplomáticas entre os dois países e que no passado assumiu a função de intermediário entre eles.

A Suíça é a segunda etapa de uma visita de Pompeo à Europa, que começou na Alemanha e inclui a Holanda e o Reino Unido.

Segundo a agência noticiosa norte-americana Associated Press, nesta deslocação o secretário de Estado tentará assegurar aos líderes europeus que os Estados Unidos não procuram o conflito com o Irão, pressioná-los sobre o que podem fazer para "arrefecer a situação" e talvez abrir um canal de comunicação com a República Islâmica.

A tensão entre os Estados Unidos e o Irão tem vindo a aumentar desde que Washington abandonou unilateralmente em maio de 2018 o acordo de 2015 sobre o nuclear iraniano e restabeleceu sanções que afetam duramente a economia da República Islâmica.

Nas últimas semanas a tensão registou uma escalada depois de os Estados Unidos anunciarem um reforço militar no Médio Oriente e de Teerão ter feito um ultimato aos restantes signatários do acordo nuclear (Reino Unido, França, Alemanha, Rússia e China) para encontrarem uma solução para contornar as sanções norte-americanas ou abandonará alguns compromissos do pacto.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório