Meteorologia

  • 21 MAIO 2019
Tempo
17º
MIN 16º MÁX 19º

Edição

França anuncia encontro com Haftar após contactos entre marechal e Itália

A Presidência francesa divulgou hoje que Emmanuel Macron irá receber na próxima semana o marechal Khalifa Haftar, homem forte do leste líbio, no mesmo dia em que o militar manteve contactos discretos com o Governo italiano.

França anuncia encontro com Haftar após contactos entre marechal e Itália
Notícias ao Minuto

18:45 - 16/05/19 por Lusa

Mundo Líbia

O encontro "terá como objetivo discutir a situação na Líbia e as condições para retomar o diálogo político, no seguimento da visita do primeiro-ministro Fayez al-Sarraj [do governo de acordo nacional líbio, reconhecido pela comunidade internacional], e em cooperação com a ONU e os nossos parceiros", informou o Eliseu (sede da Presidência francesa).

Macron recebeu no passado dia 8 de maio Fayez al-Sarraj, que acusa Paris de apoiar Khalifa Haftar.

Nessa ocasião, o chefe de Estado francês "reafirmou" o "apoio" de França ao primeiro-ministro líbio e apelou a um cessar-fogo "sem condições".

O anúncio de Paris surge no mesmo dia em que o marechal Khalifa Haftar, que disputa o poder político líbio e que lançou no início de abril uma ofensiva para conquistar Tripoli, foi recebido pelo chefe de Governo italiano, Giuseppe Conte.

"Foi uma reunião longa, uma longa troca de informações. Transmiti-lhe a posição do Governo. Queremos um cessar-fogo e consideramos a via política como a única solução", afirmou Giuseppe Conte, em declarações à comunicação social, à margem de um outro encontro.

O encontro entre Conte e Haftar não foi comunicado previamente pelas autoridades italianas, mas o primeiro-ministro italiano já tinha declarado que desejava encontrar-se com o marechal líbio, depois de ter recebido Fayez al-Sarraj no passado dia 07 de maio em Roma.

Antiga potência colonial na Líbia, a Itália é o único país ocidental que mantém aberta a sua embaixada em Tripoli.

Mais de um mês depois do início da ofensiva lançada pelo exército nacional líbio, liderado por Haftar, para assumir o controlo de Tripoli, a situação na Líbia permanece num impasse, tanto militar como político.

A União Europeia (UE) condenou na segunda-feira a ofensiva liderada pelas forças do marechal, que classificou como uma ameaça à segurança internacional, e apelou para um cessar-fogo imediato na Líbia.

Mais de 66 mil habitantes de Tripoli tornaram-se deslocados internos desde o intensificar do conflito armado na capital da Líbia, indicou esta semana a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), desde o início da ofensiva sobre Tripoli, a 04 de abril, e até 9 de maio, os hospitais da cidade registaram 454 mortos e 2.154 feridos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório