Meteorologia

  • 20 JULHO 2019
Tempo
18º
MIN 17º MÁX 20º

Edição

Trump e Putin conversaram "positivamente" sobre crise na Venezuela

Os presidentes dos EUA e da Rússia, Donald Trump e Vladimir Putin, respetivamente, discutiram hoje a situação na Venezuela durante uma conversa telefónica, confirmaram os porta-vozes dos dois líderes.

Trump e Putin conversaram "positivamente" sobre crise na Venezuela

Na conversa por telefone, Trump disse que os EUA estão "lado a lado com o povo venezuelano", na versão apresentada pela porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, que disse que a conversa foi "positiva".

A conversa telefónica aconteceu no mesmo dia em que o secretário de Estado da Defesa interino norte-americano, Patrick Shanahan, confirmou aos jornalistas que o exército norte-americano se prepara para todos os cenários na Venezuela.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, confirmou a conversa telefónica entre os dois líderes, que terá durado cerca de 90 minutos, mas não adicionou dados sobre o teor da reunião.

A questão da Venezuela tem dividido os dois países, com os EUA a declararem apoio ao autoproclamado presidente interino, Juan Guaidó, e com a Rússia a manter a confiança no presidente eleito, Nicolas Maduro, acusando os norte-americanos de tentarem organizar um "golpe de Estado" naquele país sul-americano.

Na terça-feira passada, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, afirmou que a Rússia teria convencido Maduro a não abandonar a Venezuela, quando o Presidente eleito se preparava para sair do país.

Na quarta-feira, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, desmentiu essa versão e telefonou ao chefe da diplomacia dos EUA, Mike Pompeo, onde o tema da Venezuela foi central.

Lavrov aproveitou a conversa com Pompeo para falar dos danos "dos passos agressivos" dos EUA na Venezuela.

Mas hoje, a porta-voz da Casa Branca disse que a conversa entre Trump e Putin foi "muito positiva", dando sinais de que as posições dos dois partidos estão firmadas e estabilizadas, sem risco de alguma escalada.

Mas também hoje o secretário de Estado da Defesa interino dos EUA, Patrick Shanahan, confirmou que o exército dos EUA está a preparar-se para as evoluções na Venezuela, depois de ter recebido responsáveis da equipa de segurança do Presidente Donald Trump.

"Temos um conjunto completo de opções adequadas a determinadas circunstâncias", disse Shanahan aos jornalistas, após ter cancelado uma viagem à Europa, por causa da situação na Venezuela.

Shanahan lembrou as palavras de Donald Trump, que tem dito que "todas as opções estão em cima da mesa", não excluindo uma intervenção militar na Venezuela.

Questionado sobre a possibilidade de um destacamento naval na Venezuela, o secretário de Estado da Defesa respondeu que "há muita água ali", desviando qualquer esclarecimento sério sobre a questão.

O influente senador Republicano Lidsey Graham, tinha sugerido, na sexta-feira, que os EUA estariam a enviar um porta-voz para as águas internacionais próximas da Venezuela.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório