Meteorologia

  • 23 JULHO 2019
Tempo
22º
MIN 19º MÁX 25º

Edição

Há relatos de disparos e confrontos entre militares de Guaidó e Maduro

Os confrontos estarão a acontecer junto à base de La Carlota, onde anteriormente já tinha sido disparado gás lacrimogéneo na direção de Juan Guaidó e Leopoldo López. Há registo de um ferido, mas sem confirmação oficial das autoridades.

Há relatos de disparos e confrontos entre militares de Guaidó e Maduro

Há relatos de disparos perto da base aérea de La Carlota. A RTVE está a avançar que foram ouvidos disparos perto da base e outros meios de informação referem que já há registo de confrontos entre os militares que estão a apoiar Juan Guaidó e as forças armadas que permanecem leais a Nicolás Maduro.

Antes desta escalada nos confrontos, a polícia venezuelana já tinha disparado gás lacrimogéneo na direção de Juan Guaidó, de Leopoldo López e dos militares e civis que os rodeavam junto à base aérea de La Carlota, em Caracas, segundo o El Mundo.

Os soldados que estavam com Guaidó e López apressaram-se a pegar nas bombas de gás lacrimogéneo e arremessaram-nas de volta contra os polícias. 

A agência Efe refere que não foi ainda possível apurar se o gás lacrimogéneo lançado na direção de Guaidó, López e dos seus apoiantes provocou feridos, mas os meios de informação venezuelanos dão conta de um ferido nas imediações da base de La Carlota, não se sabendo se resultou do gás lacrimogéneo arremessado. 

Juan Guaidó e Leopoldo López permanecem no local. Há registo de que várias estradas em Caracas foram cortadas. Centenas de pessoas estão nas ruas de Caracas, a grande maioria dirige-se para a base aérea de La Carlota, o epicentro desta tentativa de golpe de estado na Venezuela. 

Nas redes sociais circulam vários vídeos, um dos quais mostra um grupo de soldados a deter outro militar que estava num veículo blindado.

Não é possível perceber se o soldado detido é um dos que apoia Guaidó ou se é um dos militares que permanecia leal a Maduro. Como vestem a mesma farda, a única distinção visível nos uniformes é uma fita azul que os militares que apoiam Guaidó colocaram nos braços. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório