Meteorologia

  • 25 ABRIL 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 15º

Edição

Trump deu conselhos à Boeing, apesar do falhanço da sua companhia aérea

O presidente norte-americano sugeriu que a empresa alterasse o nome do modelo 737 MAX. Em 1989 lançou a Trump Shuttle, que apelidou como um "diamante no céu", mas a companhia aérea não esteve operacional sequer durante três anos.

Trump deu conselhos à Boeing, apesar do falhanço da sua companhia aérea
Notícias ao Minuto

17:49 - 16/04/19 por Fábio Nunes 

Mundo EUA

Ao seu estilo, Donald Trump deu esta segunda-feira alguns conselhos à Boeing a propósito dos problemas que a empresa tem enfrentado com o modelo 737 MAX, que esteve envolvido em dois acidentes trágicos que resultaram na morte de 346 pessoas.

“O que é que eu sei sobre branding? Talvez nada (mas eu tornei-me presidente!), mas se eu fosse a Boeing, eu iria ARRANJAR o Boeing 737 MAX, acrescentar algumas grandes características e dar um novo nome ao avião. Nenhum produto sofreu como este. Mas novamente, o que raio é que eu sei?”, afirmou o presidente no Twitter.

Mas o histórico de Trump no que toca a companhias aéreas não é positivo. Entre os negócios e investimentos falhados de Trump conta-se o da sua companhia aérea.

Em 1989, o empresário pagou 365 milhões de dólares pela Eastern Airlines (cerca de 323 milhões de euros), que tinha falido. A frota de 21 aviões já tinha muitos anos, pelo que o valor pago pela operação foi exagerado, como admitiu a equipa de Trump, revela o Washington Post.

A Trump Shuttle foi lançada em 1989 e Trump apelidou-a de “diamante no céu”, mas dois meses depois um dos seus aparelhos foi forçado a aterrar de emergência quando o trem dianteiro não desceu. A partir daí o panorama só piorou para a companhia aérea.

O Business Insider adianta que, um ano e meio depois da aquisição da transportadora, a Trump Shuttle já somava perdas de 128 milhões de dólares (113 milhões de euros) devido à subida do preço do petróleo por causa da guerra no Golfo e a algumas excentricidades de Trump, que pagou um milhão de dólares (884 mil euros) para revestir cada avião com decorações de ouro.

Menos de três anos depois, o agora presidente vendeu a Trump Shuttle à USAir e o seu investimento numa companhia aérea não voou por muito tempo.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório