Meteorologia

  • 24 MAIO 2019
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 16º

Edição

Do asilo à detenção. Os anos de Julian Assange na embaixada do Equador

O fundador do WikiLeaks foi detido esta quinta-feira, na embaixada equatoriana em Londres, onde vivia asilado desde 2012.

Notícias ao Minuto

08:55 - 12/04/19 por Sara Gouveia 

Mundo WikiLeaks

Julian Assange foi detido pela polícia britânica na manhã desta quinta-feira na embaixada equatoriana, onde tinha estado asilado durante quase sete anos. Após a sua detenção, o fundador do WikiLeaks foi presente a tribunal em Londres e considerado culpado pela justiça britânica de infringir as condições da liberdade condicional em 2012.

As autoridades norte-americanas acusaram Assange de ter conspirado para piratear informação norte-americana classificada. Na quinta-feira, os Estados Unidos emitiram um pedido de extradição relacionado com as atividades de Assange com a antiga analista do Exército, Chelsea Manning, que foi condenada em 2013 por ter divulgado documentos secretos para o WikiLeaks.

Antes de ter procurado asilo na embaixada, Assange enfrentava alegações de agressão sexual na Suécia.

Esta quinta-feira, o Equador revogou o seu asilo político, com o presidente equatoriano Lenín Moreno a explicar que a paciência do país "atingiu o limite".

A 2 de maio vai ser presente a tribunal via vídeo para responder pelo pedido de extradição dos Estados Unidos.

O que aconteceu até aqui? Veja abaixo as datas chave de todo o percurso de Julian Assange até este momento:

Agosto de 2010 - O Ministério Público sueco emite um mandado de detenção para Julian Assange, por duas alegações em separado - uma por violação e outra por abuso sexual. Assange refere tratarem-se de alegações "sem fundamento". 

Dezembro de 2010 - Assange é detido em Londres e sai em liberdade após pagamento de fiança.

Maio de 2012 - O Supremo Tribunal do Reino Unido decide que deverá ser extraditado para a Suécia para ser submetido a interrogatório na investigação sobre as alegações de violação e abuso sexual.

Junho de 2012 - Assange entra na embaixada do Equador em Londres

Agosto de 2012 - O Equador garante asilo a Assange, justificando a decisão com o receio de que os seus direitos humanos fossem violados caso fosse extraditado.

Agosto de 2015 - Os procuradores suecos arquivam a investigação às alegações de abuso sexual, porque passou o prazo para o poderem interrogar. No entanto este ainda enfrenta a acusação de violação.

Outubro de 2015 - A Polícia Metropolitana anuncia que os agentes já não vão continuar a ficar à porta da embaixada.

Fevereiro de 2016 - Um painel das Nações Unidas decide que Julian Assange foi "detido arbitrariamente" pelo Reino Unido e pelas autoridades suecas desde 2010.

Maio 2017 - A Suécia anuncia que a acusação de violação feita sobre o fundador do WikiLeaks vai ser arquivada.

Julho de 2018 - O Reino Unido e o Equador confirmam que estão a decorrer conversações sobre o destino de Assange.

Outubro de 2018 - São criadas regras de convivência doméstica para Assange cumprir enquanto viver na embaixada. Começam a vir a público os primeiros sintomas de que a relação entre o asilado e a embaixada já não é saudável.

O australiano revela que irá lançar ações legais contra o governo equatoriano, acusado de violar os seus "direitos e liberdades fundamentais".

Dezembro de 2018 - O advogado de Assange rejeita o acordo anunciado pelo presidente equatoriano para que este saia da embaixada.

Fevereiro de 2019  - A Austrália garante um novo passaporte ao fundador do WikiLeaks por receio de que o Equador poderá deixar de lhe dar asilo.

Abril de 2019 - A Polícia Metropolitana detém Assange dentro da embaixada - a 'convite' do embaixador - por cumprimento de um mandado judicial, emitido em 2012 quando este não apareceu em tribunal. O seu estatuto de asilado é dado por terminado.

Maio de 2019 - A 2 de maio será presente a tribunal via vídeo para responder pelo pedido de extradição dos Estados Unidos.

Veja as imagens do dia da sua detenção na galeria acima.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório