Meteorologia

  • 06 DEZEMBRO 2021
Tempo
11º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Justiça da Argélia proibe suspeitos de corrupção de abandonarem o país

A justiça argelina abriu inquéritos sobre casos de corrupção e transferência ilícita de capitais para o estrangeiro e proibiu os visados de saírem da Argélia, anunciou hoje a Procuradoria de Argel, sem indicar nomes.

Justiça da Argélia proibe suspeitos de corrupção de abandonarem o país

O anúncio, feito num comunicado recebido pela agência France Presse, ocorre após a proibição pela aviação civil no domingo dos movimentos de aviões privados nos aeroportos argelinos e da detenção noturna num posto fronteiriço com a Tunísia, por razões não precisadas, do ex-presidente da principal organização patronal argelina, Ali Haddad.

Presidente do Fórum dos Empresários da Argélia (FCE) até à passada quinta-feira, Haddad era considerado próximo da presidência de Abdelaziz Bouteflika, que enfrenta uma contestação inédita há mais de um mês.

O comunicado do Ministério Público não dá quaisquer pormenores sobre a identidade das pessoas suspeitas, o seu número ou os factos suspeitos, indica a AFP.

Os protestos nas ruas da Argélia não são apenas contra o presidente Bouteflika, há 20 anos à frente do país, mas também contra os seus próximos e em geral o sistema no poder.

Os slogans nas grandes manifestações visam regularmente "ladrões" e a "mafia" dos dirigentes acusados de serem corruptos e de desviarem dinheiro do país em seu benefício.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;
Campo obrigatório