Meteorologia

  • 19 ABRIL 2019
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 17º

Edição

Número de mortos em Moçambique sobe para 446

Corpos são descobertos à medida que o nível das águas baixa.

Número de mortos em Moçambique sobe para 446
Notícias ao Minuto

09:06 - 24/03/19 por Natacha Nunes Costa 

Mundo Tragédia

À medida que o nível das águas baixa em Moçambique o número de mortos, após a passagem do ciclone Idai, aumenta. O ministro do Ambiente de Moçambique, Celso Correia, revelou, na manhã deste domingo, que pelo menos 446 pessoas perderam a vida nesta tragédia.

O último balanço, feito no sábado, apontava para 416 mortos, mas, tal como já era esperado, o número aumentou nas últimas horas.

O governante acrescentou ainda que cerca 531 mil pessoas foram afetadas pelo desastre. Contudo, de acordo com a UNICEF, há pelo menos 2 milhões de desalojados, entre as quais 900 mil crianças.

Com a quantidade de área inundada a reduzir, as organizações humanitárias esperam conseguir chegar a mais pessoas que precisam de ajuda e há já vários camiões carregados com produtos de primeira necessidade a caminho da cidade da Beira. Até agora, o transporte de mantimentos foi feito por via aérea.

De Portugal, depois do Estado ter enviado três aviões com elementos da GNR, INEM, bombeiros e Proteção Civil e ainda medicamentos, parte este domingo mais ajuda.

Um dos aviões comerciais fretados pelo Governo para ajudar a cidade da Beira vai regressar a Portugal com seis portugueses, quatro homens, uma mulher e um adolescente, que decidiram voltar ao nosso país perante a catástrofe que se vive em Moçambique.

As Nações Unidas alertaram, este sábado, que além do número de mortos estar a aumentar, o risco de epidemias é cada vez maior. Há já registo de pessoas com cólera e malária. Por isso, a ONU elevou o nível de emergência nos países afetados pelo Ciclone Idai.

Recorde-se que, o ciclone Idai atacou a cidade portuária da Beira, na semana passada, com ventos de até 170 km /h, chuvas intensas e correntes de lama que levaram à morte de centenas de pessoas e desalojaram milhares, quiçá, milhões de pessoas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório