Meteorologia

  • 25 MARçO 2019
Tempo
13º
MIN 9º MÁX 16º

Edição

Trump ameaça UE se esta não aceitar negociações comerciais com EUA

O Presidente dos EUA, Donald Trump, ameaçou hoje a União Europeia com consequências "economicamente graves", se não aceitar negociar um acordo comercial com os Estados Unidos.

Trump ameaça UE se esta não aceitar negociações comerciais com EUA
Notícias ao Minuto

17:09 - 14/03/19 por Lusa

Mundo Casa Branca

Donald Trump considera que a União Europeia (UE) está a tratar os Estados Unidos de "forma muito injusta" e mostrou-se preparado para enfrentar uma nova guerra comercial, depois de saber que hoje o Parlamento Europeu rejeitou uma recomendação para o início de negociações comerciais entre a Comissão Europeia e o governo dos EUA.

"Se não conversarem connosco, tomaremos medidas que serão economicamente graves. Imporemos impostos alfandegários a muitos produtos (que entram nos EUA)", disse hoje o Presidente Donald Trump, em declarações aos jornalistas, na Casa Branca.

A ameaça de Trump acontece no dia em que o Presidente dos EUA anunciou que as negociações comerciais com a China estavam a correr "muito bem" e que o potencial para um acordo bilateral com o Reino Unido tem "grande potencial".

O Parlamento Europeu rejeitou hoje uma recomendação que previa início das negociações entre a União Europeia (UE) e os Estados Unidos para futuras trocas comerciais, sob "certas condições", não havendo um consenso entre os eurodeputados sobre o assunto.

Esta era uma posição relativa ao anteprojeto apresentado pela Comissão Europeia em meados de janeiro passado e que irá ser proposto aos Estados Unidos, ainda sem data definida.

Sem o consenso de hoje, a assembleia europeia terá de debater uma nova posição.

Também o Conselho da UE (onde estão representados os Estados-membros) terá de se pronunciar.

A Comissão Europeia só poderá avançar nas negociações com os EUA depois destes passos.

No final de julho do ano passado, reunidos em Washington, os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e dos Estados Unidos, Donald Trump, divulgaram uma série de medidas na agricultura, indústria e energia, para apaziguar o seu conflito comercial, mas os respetivos anúncios foram globalmente vagos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório