Meteorologia

  • 14 ABRIL 2021
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 20º

Edição

Autoridades russas não têm intenção de restringir liberdade na Internet

As autoridades russas não têm intenção de restringir as liberdades dos internautas com o projeto-lei sobre a desconexão da Internet em caso de ameaças externas, garantiu hoje o Kremlin após os protestos no domingo, em Moscovo.

Autoridades russas não têm intenção de restringir liberdade na Internet
Notícias ao Minuto

14:06 - 11/03/19 por Lusa

Mundo Kremlin

"Todos estamos a favor da liberdade na Internet, os autores da lei, a administração presidencial, o Governo, ninguém é a favor de restringir e limitar as possibilidades de trabalho na rede global", indicou o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, à imprensa.

Dmitri Peskov reagiu ao protesto no domingo, em Moscovo, que reuniu entre 6.500 e 15.000 pessoas contra os planos dos deputados russos para aprovar uma lei sobre a desconexão do seu país da Internet em caso de ameaças externas à segurança nacional.

No mesmo dia, pelo menos oito pessoas foram detidas pouco antes do início do protesto contra este projeto-lei que os deputados russos voltam a examinar na quarta-feira, segundo os meios de comunicação locais.

"Esta manhã assisti na televisão como um dos participantes do protesto disse que as autoridades russas pretendem 'pressionar o botão e desconectar a Internet', mas está muito errado", salientou Dmitri Peskov, acrescentando que o regulamento visa garantir que não haja 'apagões' provocados "do outro lado do oceano".

A manifestação contra a desconexão da Internet, autorizada pela câmara da capital, foi apoiada pelo líder da oposição russa, Alexei Navalny, e pelo inventor do serviço de mensagens Telegram, Pavel Durov, cuja aplicação foi proibida na Rússia.

Em fevereiro, a Duma (parlamento) da Rússia adotou em primeira leitura um projeto-lei para garantir a estabilidade do funcionamento do segmento russo da Internet e a sua desconexão da rede mundial em caso de situações de crise ou ataques cibernéticos contra o país.

A iniciativa suscitou fortes reticências nos operadores da Internet, pelo facto de a instalação dos equipamentos necessários para a análise de tráfico implicaram avultados investimentos.

Segundo os seus autores, e caso o projeto-lei seja aprovado em definitivo, poderá "minimizar o fluxo para o estrangeiro de dados que os utilizadores russos trocam entre si".

Para mais, em caso de ameaça, os operadores estariam obrigados a garantir a "gestão centralizada do tráfego", o que significa o seu controlo pelo Estado.

O Presidente russo, Vladimir Putin, admitiu previamente a possibilidade de o seu país se desligar da rede mundial da Internet face a eventuais ameaças externas à sua segurança nacional, mas ressalvou que Moscovo não o faria "por iniciativa própria".

"Não pretendemos desconectarmos por iniciativa própria", afirmou Putin acrescentando que "quanto mais soberania, incluindo digital, melhor".

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório