Meteorologia

  • 07 DEZEMBRO 2019
Tempo
10º
MIN 9º MÁX 17º

Edição

Lenda dos palcos, atriz e cantora Bibi Ferreira morreu. Tinha 96 anos

A cantora e atriz Bibi Ferreira morreu nesta quarta-feira (dia 13), na sua casa no Rio de Janeiro, após sofrer uma paragem cardíaca, aos 96 anos.

Lenda dos palcos, atriz e cantora Bibi Ferreira morreu. Tinha 96 anos

Morreu a atriz e cantora brasileira  Bibi Ferreira. Em declarações ao G1, Tina Ferreira, filha de Bibi, revelou que a artista morreu ao início da tarde de hoje no seu apartamento no Flamengo, Zona Sul do Rio.

"Ela amanheceu normal, acordou tomou o seu café da manhã e tudo. Depois ela só se queixou que estava se sentindo um pouco com falta de ar. Então como tem enfermeira, tem tudo, tiramos a pressão, o pulso estava fraco. Imediatamente chamamos o Pró-Cardíaco. Eles vieram muito rápido, muito rápido mesmo, ambulância, médico, tudo, mas quando chegaram ela já tinha partido. Ela morreu dormindo, tranquila", explicou Tina.

A Secretaria Estadual de Cultura e Economia Criativa informou, entretanto, que o velório vai ser no Teatro Municipal do Rio, sendo que o corpo de Bibi deverá ser cremado.

O nome de Bibi, nascida em junho de 1922 no Rio, era Abigail Izquierdo Ferreira.

Izquierdo veio da mãe, a espanhola Aída Izquierdo, corista de teatro de revista. Até os 18 anos, quando se estreou oficialmente como atriz ao lado do pai, Bibi cantou e dançou esporadicamente. A sua primeira personagem foi Mirandolina, de 'La Locandiera', de Goldoni, em 1941. Três anos depois, já com o teatro brasileiro numa fase de modernização, tinha a sua própria companhia, por onde passaram nomes como Cacilda Becker.

No final dos anos 1940, depois de um período de estudos na Royal Academy of Dramatic Art, em Londres, estreou-se também como diretora, cargo que manteria ao longo da sua carreira.

Defensora do teatro como ofício, a exigir dedicação e técnica, Bibi  orgulhava-se da voz que lhe permitia ser ouvida por toda a sala, sem microfone, nos maiores teatros. Aliás, os espetáculos que mais marcaram a sua carreira foram musicais.

Ela passou a priorizar este género na década de 1960. Um dos espetáculos que trouxe de Nova Iorque foi 'My Fair Lady', em 1964, junto com Paulo Autran, ator que voltaria a dividir o palco com ela no musical 'O Homem de La Mancha', de 1972.

A sua maior personagem, Edith Piaf, nasceu de outra peça da Broadway, que acabou por se concentrar nas canções, na adaptação dirigida por Flávio Rangel. Estreou em 1983 e ficou sete temporadas em cartaz, voltando a cena pontualmente.

Mas foi um musical criado em 1975 por Chico Buarque e Paulo Pontes, à data seu marido, que ela recordava com mais carinho - a ponto de considerar 'Gota D'Água', adaptação de 'Medeia' para uma comunidade carioca, "a maior obra da dramaturgia nacional".

Bibi Ferreira também atuou e dirigiu espetáculos no Parque Mayer, em Lisboa, nos anos de 1950, e voltou repetidas vezes a Portugal, para celebrar Amália e o Ano do Brasil.

Em setembro de 2018, Bibi anunciou o seu adeus aos palcos. Embora admiradora da Broadway, Bibi defendia com persistência o teatro brasileiro. Um dos seus últimos projetos, que não conseguiu viabilizar, foi um espetáculo de revista com orquestra, coristas e luxo, para uma geração que só conhece os musicais americanos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório