Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2019
Tempo
12º
MIN 12º MÁX 21º

Edição

Eurocéticos admitem revoltar-se conta Governo britânico amanhã

Deputados conservadores eurocéticos admitem revoltar-se contra o governo no debate de quinta-feira sobre a estratégia para negociar com Bruxelas alterações ao Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE).

Eurocéticos admitem revoltar-se conta Governo britânico amanhã
Notícias ao Minuto

16:47 - 13/02/19 por Lusa

Mundo Debate

Na declaração apresentada para votação, o governo pede que seja "reiterado o apoio à abordagem para sair da UE expressa a 29 de janeiro", quando foi aprovada uma proposta para negociar alternativas à solução para a Irlanda do Norte conhecida por 'backstop'.

Porém, os eurocéticos receiam ficar vinculados a uma outra proposta aprovada naquele dia, que rejeita um 'Brexit' sem acordo, alegando que tal retira "margem de negociação" com Bruxelas, argumentou o deputado Mark Francois.

O parlamento vai votar os termos da declaração feita pela primeira-ministra, Theresa May, na terça-feira, na qual pediu mais tempo para negociar com os líderes europeus uma alternativa à solução para a Irlanda do Norte conhecida por 'backstop'.

"As negociações estão numa fase crucial. Precisamos todos de manter o sangue frio para conseguir as alterações que esta Câmara pediu e concretizar o 'Brexit' a tempo", afirmou a chefe do governo.

A solução prevista no Acordo de Saída negociado entre o Governo e Bruxelas será ativada se não estiver concluído um novo acordo comercial após o período de transição, no final de 2020, mantendo o Reino Unido na união aduaneira europeia e a Irlanda do Norte sujeita a regras do mercado único.

Conservadores eurocéticos e o Partido Democrata Unionista (DUP) opõem-se, alegando que existe o risco de ficar em vigor por tempo indeterminado e de forçar a Irlanda do Norte a cumprir um quadro regulatório diferente do resto do país.

Depois de ajudarem a oposição a rejeitar o Acordo de Saída em 15 de janeiro por uma margem de 230 votos, aprovaram uma proposta para aquele mecanismo ser substituído por "disposições alternativas".

Na terça-feira, Theresa May pediu aos deputados mais tempo, prometendo voltar a atualizar os deputados sobre o estado das negociações a 26 de fevereiro, mas sem indicar quando será possível apresentar um acordo para ser votado de forma a ser ratificado pelo Reino Unido e pela UE antes da data do 'Brexit', a 29 de março.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório