Meteorologia

  • 18 FEVEREIRO 2019
Tempo
13º
MIN 13º MÁX 13º

Edição

EUA "muito otimistas" sobre reforço de investimento de aliados na NATO

A embaixadora permanente dos EUA na NATO, Kay Hutchinson, afirmou hoje estar confiante no aumento da participação financeira dos países membros da organização, estimando que o reforço orçamental em 2024 atingirá cerca de 300 mil milhões de euros.

EUA "muito otimistas" sobre reforço de investimento de aliados na NATO
Notícias ao Minuto

12:34 - 12/02/19 por Lusa

Mundo Embaixadora

Kay Hutchinson afirmou que o governo dos EUA está "muito otimista" relativamente ao reforço de meios financeiros da NATO, dizendo que estima um reforço de até cerca de 100 mil milhões de euros já em 2020 e de até cerca de 300 mil milhões de euros em 2024, atingindo metas que permitirão "uma maior agilidade" da organização a curto prazo.

A embaixadora permanente dos EUA na NATO - que falava numa conferência de Imprensa telefónica, em que a Lusa participou, e que antecede a reunião de ministros da Defesa dos países membros da organização, que decorre em Bruxelas, quarta e quinta-feira - afirmou que esse dinheiro será essencialmente utilizado na compra de mais aviões e submarinos, numa estratégia de reforço de meios da organização.

Em 2018, o Presidente dos EUA, Donald Trump, tinha exigido aos países membros da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO) que cumprissem o acordo de destinarem 2% do PIB ao setor da defesa militar, acusando os aliados de deixar para os norte-americanos a maior fatia de esforço.

Kay Hutchinson afirmou hoje que verifica "com agrado" que os aliados "parecem finalmente empenhados" em partilhar do esforço de garantir a eficácia dos mecanismos de defesa da NATO.

"Estamos, felizmente, no caminho certo", afirmou a embaixadora.

Kay Hutchinson disse ainda que os EUA levarão para a discussão da reunião de ministros da Defesa da NATO as preocupações com matérias relacionadas com segurança nas telecomunicações, reiterando a necessidade de se encontrar estratégias eficazes para lidar com as "ameaças" contemporâneas neste setor.

Durante a conferência de Imprensa telefónica, a embaixadora norte-americana afirmou ainda que o seu governo está "disponível" para novos acordos de limitações de armamento que substituam o tratado de desarmamento INF -- assinado em 1987, entre os EUA e a então União Soviética, para controlo de mísseis de curto e médio alcance -- que os EUA estão a abandonar a partir deste mês, por considerarem que a Rússia não cumpre as suas regras.

"Estamos disponíveis para negociar com a Rússia, e com outros países, um novo acordo, que, desta vez, seja cumprido por todos", afirmou Hutchinson.

A embaixadora disse ainda que os EUA estão otimistas relativamente à adesão da Macedónia à NATO, cujo processo de integração se iniciou em 2018, após um acordo para renomear o país como República da Macedónia do Norte, solucionando um diferendo com o governo da Grécia.

"Pensamos que o processo de adesão poderá ficar concluído até final de 2019", disse a embaixadora.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório