Meteorologia

  • 19 ABRIL 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 14º

Edição

Elas foram de branco para ouvir discurso de presidente que criticam

Homenagem às sufragistas num discurso de um presidente que muitas congressistas consideram sexista.

Notícias ao Minuto

17:30 - 06/02/19 por Pedro Filipe Pina 

Mundo Congresso

Durante a última madrugada em Portugal, Donald Trump fez no Capitólio, em Washington, o há muito esperado (e debatido) discurso do Estado da União.

Trata-se de um momento solene na democracia norte-americana, que esteve para não acontecer devido ao diferendo que abriu caminho ao 'shutdown' de 35 dias, o mais longo de qualquer presidência norte-americana.

O atual congresso norte-americano - cujos novos membros tomaram posse em janeiro deste ano - é o mais diversificado da história do país, com um número recorde de mulheres congressistas: são 127 no total, sendo que 106 destas mulheres são do partido democrata.

Já se sabia que haveria mensagem subliminar através do vestuário. Mas a imprensa norte-americana dá conta das imagens - que pode ver na galeria - destas mulheres congressistas democratas, todas de branco, numa alusão ao movimento das sufragistas, que há um século batalhou pelo direito a votar para as mulheres.

Nancy Pelosi, a líder no congresso, estava entre as que se vestiram de branco. Curiosamente, quem também foi de branco foi Tiffany Trump, filha do presidente, o que gerou alguma especulação online (seria simples escolha de vestuário ou ter-se-ia juntado Às democratas, muitas delas eleitas fazendo oposição a Trump?).

Ivanka Trump, a outra filha do presidente, e Melania Trump, a primeira-dama, optaram por ir de negro.

Ainda assim, no que a mensagens políticas e protestos simbólicos diz respeito, o destaque da imprensa norte-americana vai para as congressistas que foram de branco.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório