Meteorologia

  • 25 MAIO 2019
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 23º

Edição

Porta-voz do Vaticano e adjunta demitiram-se

O porta-voz do Vaticano, o norte-americano Greg Burke, e a sua adjunta, a espanhola Paloma Gacria Ovejero, demitiram-se, anunciou hoje aquele Estado num comunicado.

Porta-voz do Vaticano e adjunta demitiram-se
Notícias ao Minuto

14:11 - 31/12/18 por Lusa

Mundo Comunicado

O Papa "aceitou a demissão do diretor e do vice-diretor do gabinete de imprensa do Vaticano, Greg Burke e Paloma García Ovejero, e nomeou para diretor interino Alessandro Gisotti, até agora coordenador dos media sociais para o ministério da Comunicação e antigo responsável da Rádio Vaticano", lê-se no comunicado hoje divulgado e citado pela Agência France Presse.

O norte-americano Greg Burke, 59 anos, membro da Opus Dei, influente instituição conservadora da igreja católica, tinha sido nomeado porta-voz do Vaticano em julho de 2016, depois de ter ocupado o segundo posto do serviço de imprensa. Greg Burke tinha sucedido ao jesuíta Federico Lombardi.

"Nestes tempos de transição para as comunicações do Vaticano, acreditamos que é melhor para o Santo Padre ser completamente livre de constituir uma nova equipa", escreveu Greg Burke na rede social Twitter, precisando que a sua demissão terá efeitos a partir de 01 de janeiro.

Paloma García Overo, de 43 anos, foi a primeira mulher a ocupar o segundo posto do serviço de imprensa do Vaticano.

Com estas duas demissões continua a remodelação iniciada há alguns meses na comunicação do Vaticano, e que inclui a nomeação, a 18 de dezembro, do jornalista italiano Andrea Tornielli como diretor editorial e do escritor Andrea Monda como novo diretor do L'Osservatore Romano, jornal diário publicado pelo serviço de informação do Vaticano.

"O próximo ano está repleto de compromissos importantes que exigem o máximo esforço de comunicação. Tenho plena confiança de que Alessandro Giotti será capaz de dirigir a sala de imprensa, enquanto se espera que seja defina uma nova organização o mais brevemente possível", lê-se no comunicado.

O Vaticano enfrentou este ano uma série de escândalos de abusos sexuais envolvendo elementos da igreja católica do Chile, a Austrália e os Estados Unidos da América.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório