Meteorologia

  • 26 ABRIL 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

"Na Rússia está na moda ser homofóbico"

Ataques a membros da comunidade LGBT terão crescido 30% no ano passado.

"Na Rússia está na moda ser homofóbico"
Notícias ao Minuto

23:11 - 26/12/18 por Pedro Filipe Pina 

Mundo Ativista

Misha Tumasov, de 43 anos, é ativista daquela que é a maior organização de direitos da comunidade LGBT na Rússia, a Russian LGBT Network.

O ativista esteve recentemente em Espanha a convite The Advocacy Proyect, para um encontro sobre ativismo e direitos humanos.

Em entrevista ao El Pais, Misha falou da sua Rússia, um país onde os ataques a homossexuais têm vindo a aumentar, com acusações de complacência por parte das autoridades.

"Na Rússia está na moda ser homofóbico", disse ao jornal espanhol.

"No ano passado, as agressões homofóbicas cresceram 30%. Em média, todos os dias há duas pessoas a ser alvo de agressões, mas não são números reais, já que só uma pequena minoria é que denuncia [as agressões]", explicou.

Desde 2013 que a Rússia introduziu uma lei com caráter algo subjetivo, que criminaliza o que considera ser propaganda homossexual. Há multas e penas de prisão para quem difunda qualquer tipo de informação sobre LGBT a menores de idade.

Há também relatos de grupos organizados que tentam encontrar homossexuais para os agredir. A violência é algo que o próprio Misha Tumasov já sentiu na pele, após ter sido alvo de agressões há seis anos.

Ao El Pais, Misha falou não só sobre as dificuldades de quem é discriminado, pela sexualidade, na Rússia, mas também dos desafios para os ativistas de direitos humanos, em diversas áreas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório