Meteorologia

  • 15 DEZEMBRO 2018
Tempo
12º
MIN 12º MÁX 12º

Edição

CEO norte-americano prevê vitória esmagadora de Trump e Hillary em 2020

Se o Presidente norte-americano, Donald Trump, não for indiciado pela justiça será reeleito com 80% dos votos nas eleições de 2020 em que Hillary Clinton fará nova tentativa para chegar à Casa Branca.

CEO norte-americano prevê vitória esmagadora de Trump e Hillary em 2020
Notícias ao Minuto

14:07 - 08/11/18 por Lusa

Mundo Conferência

A previsão é do fundador e co-CEO da plataforma comercial @Shift, que hoje passou pelo fórum restrito da Web Summit, em Lisboa, para analisar os resultados das eleições norte-americanas de terça-feira, em que os Republicanos mantiveram o controlo do Senado e os Democratas recuperaram a Câmara dos Representantes.

"Se não for indiciado ou destituído, se o filho ou o genro não forem indiciados [...] - e há uma grande probabilidade de alguém ser indiciado - vai ser reeleito com 75 ou 80 por cento dos votos", disse George Arison.

George Arison, que esteve à conversa com o editor executivo da @Bloomberg, John Fraher, pretendia responder à pergunta: Serão as eleições intercalares o princípio do fim do Trumpismo?

O responsável da @Shift, que no início da intervenção fez questão de dizer que não suporta Donald Trump e preferia que não fosse presidente, aconselhou os Democratas e os media norte-americanos a "não terem ilusões" porque o atual inquilino da Casa Branca vai cumprir um mandato de oito anos.

Arison considerou Trump "um perigo para a democracia" norte-americana, explicando o seu sucesso na conquista de votos à esquerda com as políticas comerciais e um discurso que ressoa no segmento da população branca e pobre dos Estados Unidos.

"Durante décadas, Republicanos e Democratas não fizeram nada pelos brancos pobres da América", disse.

Sobre a prestação democrata nas eleições de terça-feira, George Arison, assinalou que os candidatos vencedores foram os mais moderados e que o encostar do Partido Democrata à esquerda beneficia Trump, porque a sociedade norte-americana é maioritariamente moderada.

"Deve-se atacar a política de imigração do Presidente, porque é ridícula, mas não se pode fazer um discurso de que não há diferença entre entrar legal ou ilegalmente no país", apontou como exemplo das falhas no discurso dos Democratas.

Por isso, entende, que nas eleições presidenciais de 2020, os Democratas só terão sucesso se escolherem um candidato moderado e "muito menos à esquerda".

"Alguém mais Bill Clinton do que Barack Obama", sublinhou.

Por outro lado, considerou que Trump não vai mudar e defendeu que os Democratas só conseguirão combater eficazmente o seu discurso "se usarem as mesmas armas".

"Ele põe alcunhas a toda a gente, escolham também uma boa alcunha para ele. Porta-se como uma criança, escolham uma alcunha que evidencie o seu comportamento infantil", disse.

George Arison mostrou-se convencido de que Hillary Clinton será novamente candidata e considerou "risíveis" às hipóteses veiculadas na área democrata como as senadoras Kamala Harris ou Elizabeth Warren ou o antigo vice-presidente Joe Biden.

"Vai olhar para aquele cenário e achar que tem o caminho livre para vencer a nomeação. É estúpido, mas não ficaria surpreendido se o fizesse. Espero que não o faça. Se fores a Hillary, acreditas que foste roubado, que não fizeste nada de errado e que não tiveste culpa na derrota. Sempre quiseste ser presidente, olhas para os candidatos, que são um conjunto de anões, e concorres", disse.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório