Meteorologia

  • 11 DEZEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 11º MÁX 14º

Edição

Especialistas sauditas deslocaram-se a Istambul para apagar provas

Dois cidadãos sauditas deslocaram-se a Istambul para apagar as provas da morte do jornalista Jamal Khashoggi no consulado do seu país antes de as autoridades turcas investigarem o caso, disse hoje um alto responsável turco.

Especialistas sauditas deslocaram-se a Istambul para apagar provas
Notícias ao Minuto

11:05 - 05/11/18 por Lusa

Mundo Khashoggi

"Pensamos que estes dois indivíduos vieram à Turquia com o único objetivo de apagar as provas da morte de Jamal Khashoggi antes que a polícia turca fosse autorizada a fazer buscas no local", disse o responsável, sob anonimato, à agência France-Presse.

O responsável confirma assim a notícia do jornal oficial turco Sabah, que hoje noticia que uma equipa de 11 sauditas, entre os quais um químico e um especialista em toxicologia, se deslocou a Istambul nove dias depois da morte de Khashoggi para limpar os vestígios e eventuais provas do assassínio do jornalista.

"O facto de uma equipa de limpeza ter sido enviada desde a Arábia Saudita nove dias após a morte sugere que altos responsáveis sauditas estavam ao corrente do homicídio de Khashoggi", acrescentou o mesmo responsável.

O jornalista Jamal Khashoggi, colunista do jornal norte-americano Washington Post e crítico do regime de Riade, foi morto a 02 de outubro no consulado saudita em Istambul, onde se deslocou para tratar de documentos.

Depois de ter dito que Khashoggi saiu do consulado ileso e, posteriormente, que morreu na sequência de uma luta, as autoridades da Arábia Saudita acabaram por reconhecer que o jornalista foi assassinado "numa operação não autorizada" e detiveram 18 suspeitos de envolvimento no caso.

Na quarta-feira, o Ministério Público turco indicou, em comunicado, que Jamal Khashoggi foi estrangulado logo após ter entrado no consulado e que o seu corpo foi depois desmembrado.

Segundo o Sabah, a partir de 12 de outubro e durante uma semana, o químico e o especialista em toxicologia estiveram "regularmente" no consulado e deslocaram-se também à residência do cônsul para apagar qualquer vestígio da morte.

Os dois homens terão deixado a Turquia a 20 de outubro, segundo o mesmo jornal.

Os investigadores turcos só foram autorizados a aceder ao consulado e à residência do cônsul após os dois funcionários sauditas limparem todos os vestígios.

O consulado foi investigado pela primeira vez na noite de 15 para 16 de outubro e a residência a 17.

O corpo de Jamal Khashoggi ainda não foi encontrado.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório