Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
22º
MIN 21º MÁX 22º

Edição

'La Manada' em novo caso. Agressão sexual de Navarra não foi a primeira

Os integrantes do grupo 'La Manada', libertados depois de uma decisão polémica do tribunal da Comunidade Autónoma de Navarra, estão envolvidos num caso de agressão sexual que aconteceu dois meses antes dos atos ocorridos em Pamplona.

'La Manada' em novo caso. Agressão sexual de Navarra não foi a primeira
Notícias ao Minuto

17:03 - 25/09/18 por Anabela de Sousa Dantas 

Mundo Espanha

Os membros do grupo que se autodenominava ‘La Manada’ vão voltar ao banco dos réus por causa de um crime de agressão sexual, cometido dois meses antes dos atos ocorridos nas festas de São Firmino, em Pamplona (Navarra), pelos quais foram condenados a 9 anos de prisão com pena suspensa, tendo sido libertados mediante pagamento de fiança.

De acordo com o El País, quatro dos cinco membros do grupo - José Ángel Prenda, Antonio Manuel Guerrero, Alfonso Jesús Cabezuelo e Jesús Escudero -, são acusados por um tribunal de Pozoblanco, em Córdoba, de alegados abusos sexuais e de um delito contra a intimidade de uma mulher de 21 anos, atos ocorridos a 1 de maio de 2016.

A mesma publicação explica que a mulher de 21 anos estava “em estado de profunda inconsciência” dentro de um veículo e que os atos foram gravados com o telemóvel de Antonio Manuel Guerrero, tendo as imagens sido depois partilhadas em vários grupos de Whatsapp, onde apelidavam a vítima de “bela adormecida”.

O auto da acusação refere ainda um delito de maus-tratos, mas apenas contra Alfonso Jesús Cabezuelo, o único elemento do grupo que faz parte de uma força de autoridade (Guardia Civil), porque esbofeteou a vítima quando esta se negou a fazer-lhe sexo oral.

A vítima, natural de Pozoblanco, não se recordava dos feitos descritos no vídeo, mesmo tendo tirado fotografias às contusões com que acordou no dia seguinte. Só dois meses depois, quando a polícia forense de Navarra encontrou o vídeo nos telemóveis dos acusados (durante o julgamento relativo ao crime de Pamplona), é que a vítima soube o que lhe tinha acontecido.

A instrução deste caso, diz o diário espanhol, começou em outubro de 2016 e já dura há dois anos. Alguns dos membros da ‘Manada’ chegaram a testemunhar através de videoconferência, pois estavam, na altura, detidos por causa do caso de Pamplona.

Neste processo estão envolvidos diretamente quatro elementos do grupo, José Ángel Prenda, Antonio Manuel Guerrero, Alfonso Jesús Cabezuelo e Jesús Escudero, que estavam presentes no veículo. Ángel Boza não estava presente mas fazia parte dos grupos onde foram partilhados os vídeos da vítima.

O grupo de cinco sevilhanos esteve quase dois anos em prisão preventiva, desde 7 de julho de 2016 até junho de 2018, depois de terem sido condenados a nove anos de prisão por ato continuado de agressão sexual em grupo de uma jovem de 18 anos, durante as festas de São Firmino, em 2016, em Pamplona.

A sentença atribuída aos cinco espanhóis causou, na altura, muitos protestos. O tribunal de Navarra entendeu que havia sido cometido o delito continuado de abuso sexual e não de violação coletiva porque a vítima, em choque, nada fez para se defender.

Numa decisão considerada polémica, o tribunal da Comunidade Autónoma de Navarra determinou a saída provisória do grupo da prisão, depois de pagarem individualmente uma fiança de seis mil euros. No auto de notificação sobre a liberdade condicional, o juiz defendia que seria "impensável" os acusados repetirem o delito, uma vez que perderam o anonimato, que seria complicado fugirem à justiça após o pagamento da fiança, que vivam a 500 quilómetros da vítima e que não tinham antecedentes de delitos sexuais.

Entretanto, porém, Antonio Manuel Guerreiro, tentou fazer um passaporte, pouco depois de ter sido libertado, tendo a sua tentativa sido frustrada pelas autoridades. Ángel Boza, o único que não está incluído neste processo de Córdoba, voltou à prisão depois de ser detido por roubo e agressão num estabelecimento comercial de Nervión, onde roubou uns óculos de sol de uma loja e tentou atropelar dois seguranças do espaço comercial.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório