Meteorologia

  • 21 OUTUBRO 2018
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 17º

Edição

Suspeitos de ataque a Skripal dizem ter ido a Salisbury só ver a catedral

O Reino Unido acusou os dois russos de serem os responsáveis pelo ataque com Novichok.

Suspeitos de ataque a Skripal dizem ter ido a Salisbury só ver a catedral
Notícias ao Minuto

11:56 - 13/09/18 por Sara Gouveia 

Mundo Entrevista

Os dois homens acusados de ter tentado matar os Skripal em março deste ano com o agente neurotóxico Novichok, Alexander Petrov e Ruslan Boshirov, terão seguido o conselho dado por Putin esta quarta-feira, e resolveram dar uma entrevista ao canal estatal russo RT. 

Segundo os suspeitos, o motivo que os levou a visitar Salisbury foi a visita à famosa catedral "pela sua torre de 123 metros e o relógio, um dos primeiros criados no mundo que ainda funciona", negando as alegações de serem espiões do serviço de inteligência russo e insistiram não ter estado envolvidos no envenenamento do ex-espião, conta o Mirror.

Alegam não ter passado "mais de uma hora" em Salisbury e que em vez disso resolveram visitar o monumento pré-histórico Stonehenge. "Claro que fomos lá para ver o Stonehenge, mas não conseguimos porque havia lama por todo o lado. A cidade estava coberta de humidade, ficamos molhados, então apanhamos o comboio mais próximo e voltámos [para Londres]", explicou Alexander.

"Talvez nos tenhamos aproximado da casa de Skripal, mas não sabemos onde é", acrescentou Ruslan.

Os homens quebraram o silêncio uma semana depois de o Reino Unido os ter identificado como sendo os responsáveis pelo ataque. Mas apesar de admitirem ser as pessoas que aparecem nas imagens de videovigilância, argumentam que viajaram para o Reino Unido como turistas depois de alguns amigos lhes terem sugerido visitar a "fantástica cidade" de Salisbury.

A jornalista que levou a cabo a conversa, Margarita Simonyan, referiu o par não mostrou os passaportes para se identificar, apenas os documentos de identificação russos. Questionados sobre a decisão de falar com os meios de comunicação, responderam que tinham medo que começassem a escavar os seus passados e que perturbassem as suas famílias.

"Quando a nossa vida está virada do avesso, não se sabe para onde ir. Temos medo de sair de casa, temos medo pelas nossas vidas e pelas vidas das nossas famílias", disse Ruslan.

A entrevista foi classificada como uma farsa pelos britânicos quase de imediato. 

Recorde-se que no decorrer de uma investigação, os procuradores britânicos identificaram os dois homens de nacionalidade russa como sendo os responsáveis pelo envenenamento de Sergei Skripal e da sua filha Yulia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório