Meteorologia

  • 12 NOVEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 13º

Edição

A 'Diada pela República' saiu à rua para dar força ao independentismo

Catalães assinalam a resistência na Guerra da Sucessão de 1714 e saem à rua para pedir a formação de uma república e a libertação dos presos políticos. Veja, abaixo, as imagens da celebração da 'Diada' em Barcelona, que reuniu mais de um milhão de pessoas.

Notícias ao Minuto

17:02 - 11/09/18 por Pedro Bastos Reis com Lusa 

Mundo Barcelona

As ruas de Barcelona voltam a estar pintadas com as cores independentistas. Esta terça-feira, 11 de setembro, assinala-se a Diada (Dia da Catalunha) e a Assembleia Nacional Catalã (ANC) aproveitou a data para convocar uma manifestação para reforçar a vontade de criar uma república catalã.

Como é habitual nesta data, centenas de milhares de catalães saem às ruas, num tom festivo e familiar, mas também reivindicativo, com a particularidade de esta ser a primeira Diada desde que, em 2017, Madrid aplicou o artigo 155 da constituição e suspendeu a autonomia catalã, isto depois do referendo de 1 de outubro – não reconhecido pela justiça espanhola – em que os catalães votaram pela formação de uma república.

Na sequência do referendo, vários ex-ministros catalães foram detidos e estão a aguardar julgamento. Carles Puigdemont, ex-presidente da Catalunha, fugiu para Bruxelas, onde vive neste momento, depois de a justiça alemã ter rejeitado a sua extradição para Espanha, como Madrid pretendia.

Desde o referendo de outubro, muita coisa mudou. A região autónoma foi a eleições, esteve num impasse durante seis meses, e tem hoje Quim Torra como presidente. Mariano Rajoy, do PP, também 'caiu' do executivo espanhol e agora o governo de Madrid é liderado pelo socialista Pedro Sánchez, que prometeu dialogar com a Generalitat (governo catalão).

A Diada assinala a resistência catalã na Guerra da Sucessão de 1714. Este ano, com o lema ‘Diada pela República’, os separatistas pedem, para além de um referendo que lhes permita decidir sobre a independência, a libertação dos presos políticos.

Pelas ruas de Barcelona, como pode ver na galeria, centenas de milhares de pessoas desfilam vestidas com as cores da Catalunha, bandeiras em punho e com os lenços amarelos bastante presentes.

Um milhão nas ruas

Na sua conta na rede social Twitter, a polícia municipal da capital catalã avançou que a concentração deste ano teve "cerca de um milhão" de pessoas, o que demonstra um poder de mobilização idêntico ao de 2017.

Um ano depois da tentativa frustrada de ganhar a independência de Espanha e numa altura em que os seus principais dirigentes estão na prisão ou no exílio, o movimento separatista consegue assim provar que continua a mobilizar uma parte importante dos catalães.

As comemorações da Diada começaram precisamente às 17h14 (16h14 em Lisboa) numa alusão à tomada de Barcelona em 11 de setembro de 1714 pelas tropas do rei Felipe V, que suprimiu a autonomia da região.

Os manifestantes empunhavam milhares de bandeiras separatistas e gritaram pela "independência" da região na conhecida avenida Diagonal de Barcelona.

A coreografia realizada pela influente associação cívica separatista Assembleia Nacional Catalã (ANC) mostrou um muro a cair, o que simbolizou os obstáculos que os catalães têm de ultrapassar para conseguir chegar à independência.

Por seu lado, as forças apoiantes da unidade de Espanha, que não estiveram presentes na concentração, criticaram que o Dia da Catalunha fosse aproveitado, mais uma vez, pelos independentistas e tenha deixado de ser um dia festivo de todos os catalães.

[Notícia atualizada às 19h23]

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório