Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2018
Tempo
22º
MIN 21º MÁX 23º

Edição

'Operação Limpeza' na Nicarágua já causou cinco mortes

Pelo menos cinco pessoas morreram na denominada 'Operação Limpeza' do Governo da Nicarágua, em diferentes ações armadas visando civis, que mantêm bloqueadas as estradas, denunciou hoje a Associação Nicaraguense pelos Direitos Humanos (ANPDH).

'Operação Limpeza' na Nicarágua já causou cinco mortes
Notícias ao Minuto

18:43 - 15/07/18 por Lusa

Mundo Governo

"Há dois mortos em Diriá, dois também em Masaya e um em Catarina", disse à agência noticiosa espanhola o secretário-executivo da associação, Álvaro Leiva.

No município de Diriá, no departamento de Granada, as denominadas "forças combinadas" do Governo, que incluem polícias, agentes anti-motim e paramilitares, retiraram à força de suas casas Almer e Allan Morales, pai e filho, e executaram-nos, disse o ativista.

Em Masaya, no Bairro Camilo Ortega, morreram duas outras pessoas não identificadas ainda pela ANPDH, e um morador no município vizinho de Catrina

Leiva firmou ainda que há registo de "vários" feridos, entre eles, em estado grave, uma menina em Catarina, alvejada no abdomen, e um rapaz de 13 anos, em Masaya.

O ativista disse que a Polícia e os agentes paramilitares tomaram à força o Centro Hospitalar de Masaya e negaram assitência às vítimas.

Em Masaya, segundo o responsável, não existe "um canal humanitário" para retirar feridos e transportá-los para Manágua, a 28 quilómetros.

Masaya está sitiada pelas forças governamnetais e "não há forma de entrar na cidade e salvar vidas, porque estamos debaixo de fogo", disse.

Leiva informou ainda que as "forças combinadas" conseguiram "neutralizar", pela força das armas, os manifestantes nas barricadas, e realizaram um plano de "caça", casa a casa, à procura de opositores para os deter.

Um grupo de Mecanismo de Seguimiento para Nicaragua (Meseni) da Comissão Interamericana dos Direitos Humanos (CIDH) dirige-se para Masaya "para alcançar soluções pacíficas e proteger a população", anunciou o bispo auxiliar de Manágua, Silvio Báez, através da rede social Twitter.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.