Meteorologia

  • 25 SETEMBRO 2018
Tempo
21º
MIN 19º MÁX 23º

Edição

Dois jornalistas continuam cercados com padres e estudantes na Nicarágua

Os grupos paramilitares que cercam a casa paroquial da Divina Misericórdia de Manágua deixaram sair na sexta-feira à noite dois dos quatro jornalistas que ali estavam refugiados e onde ainda se encontram padres e estudantes feridos.

Dois jornalistas continuam cercados com padres e estudantes na Nicarágua
Notícias ao Minuto

07:35 - 14/07/18 por Lusa

Mundo Manágua

Ismael López, da BBC Mundo, e Joshua Partlow, do The Washington Post, segundo a agência de notícias Efe, saíram sexta-feira à noite daquele espaço, para o qual estavam a ser transferidos estudantes feridos, depois do assalto das forças de segurança do Governo e milícias terem atacado a Universidade Nacional Autónoma da Nicarágua (UNAN) para desalojar os jovens que aí se encontravam barricados desde maio.

A libertação dos jornalistas veio depois de várias conversas entre elementos da polícia e um membro da Cruz Vermelha e depois de passarem várias horas nas mãos das forças de segurança governamentais. José Noel Marenco, da 100% News, e Sergio Marín, da La Mesa Redonda, permanecem no local.

"Padres, jornalistas e estudantes feridos nacionais e estrangeiros, cercados por paramilitares na reitoria da Divina Misericórdia Freguesia de Manágua. Tentamos que alguém consiga chegar junto deles", escreveu na sexta-feira à noite o bispo auxiliar da Arquidiocese de Manágua, Silvio José Báez, na sua conta na rede social Twitter.

O grupo refugiou-se na casa paroquial, próxima à UNAN, onde os estudantes feridos estavam a ser transferidos.

Pelo menos cinco estudantes que estavam desde maio barricados no campus universitário a exigir a renúncia do presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, ficaram feridos depois de uma operação das forças de segurança e policiais para expulsá-los do local, informaram os seus líderes.

Na cidade de Masaya, cerca de 30 km de Manágua, pelo menos duas pessoas morreram na sequência de confrontos em que a polícia usou armas pesadas contra os manifestantes, no final de um discurso do presidente Daniel Ortega, na sexta-feira à noite, informou a Associação Nicaraguense de Direitos Humanos.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório