Meteorologia

  • 21 SETEMBRO 2018
Tempo
27º
MIN 24º MÁX 29º

Edição

Poroshenko considera gasoduto Nord Stream II um projeto político

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, disse hoje que o gasoduto Nord Stream II, entre a Rússia e a Alemanha, criticado pelo presidente norte-americano, é uma iniciativa de caráter político.

Poroshenko considera gasoduto Nord Stream II um projeto político
Notícias ao Minuto

10:50 - 12/07/18 por Lusa

Mundo Ucrânia

"O Nord Stream II não é um projeto económico. O Nord Stream II tem motivações políticas", disse Poroshenko antes do início do segundo dia de trabalhos da Cimeira da NATO, em Bruxelas, para o qual foi convidado.

Trump afirmou na quarta-feira que o governo de Berlim está "totalmente controlado" pela Rússia e que "está prisioneiro" de Moscovo por causa do projeto do gasoduto.

"A Alemanha está totalmente controlada pela Rússia porque vai receber entre 60 a 70 por cento da energia da Rússia através do novo gasoduto", disse Trump acrescentando que se trata de "uma coisa muito má para a Aliança Atlântica".

O presidente ucraniano disse hoje que é "totalmente certo" que o gasoduto não tem "sentido económico" acrescentando que o sistema de transporte de gás da Ucrânia tem uma capacidade de reserva "significativamente maior" do que o Nord Stream II.

"Faço votos para que possamos parar o Nord Stream II numa ação conjunta e efetiva", frisou.

Por outro lado, agradeceu o apoio da NATO e dos Estados Unidos para pôr fim à guerra na Ucrânia e "desocupar" territórios do país.

"Recebemos uma mensagem forte da Casa Branca e do Departamento de Estado sobre o não reconhecimento da anexação ilegal da Crimeia", afirmou o presidente da Ucrânia a poucos dias do encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin que devem reunir-se na próxima segunda-feira em Helsínquia.

Numa conferência de imprensa conjunta com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, o chefe de Estado ucraniano disse que espera que a cimeira que decorre em Bruxelas "confirme que as portas da Aliança Atlântica estão abertas para a Ucrânia".

"Acreditamos que as portas da aliança permanecem abertas. A Ucrânia partilha os valores comuns da NATO e que o país venha a ser um aliado quando estiver preparado e sem termos de pedir autorização a ninguém", disse.

Poroshenko exigiu a Moscovo a retirada do armamento pesado e das tropas que mantém na Ucrânia e que a Rússia liberte os "reféns e os presos políticos".

Stoltenberg referiu-se ao apoio da NATO sobre a integridade territorial e soberania da ex-república soviética, condenou a anexação da Crimeia e pediu a aplicação dos acordos de Minsk.

"A Rússia tem uma responsabilidade especial. Deve retirar as tropas e o apoio a militantes pró-Moscovo da Ucrânia", disse indicando que é um objeto "de longo prazo" a adesão do país à NATO tendo recordado que o processo depende da implementação de reformas por parte de Kiev.

Mesmo assim, o secretário-geral da NATO disse que se registam progressos nesse sentido por parte da Ucrânia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório