Meteorologia

  • 20 JUNHO 2018
Tempo
27º
MIN 26º MÁX 27º

Edição

Ninguém sabia explicar paralisia de menina até verem o couro cabeludo

Jessica Griffin chama a atenção, através do Facebook, para uma condição rara mas que pode ser muito perigosa.

Ninguém sabia explicar paralisia de menina até verem o couro cabeludo
Notícias ao Minuto

22:00 - 11/06/18 por Notícias Ao Minuto

Mundo EUA

Jessica Griffin, natural de Midway, na Flórida, ficou em pânico quando a sua filha de cinco anos de idade, Kailyn Griffin, deixou de conseguir segurar-se de pé. De acordo com a estação WTXL, a mãe explicou que a menina estava bem na noite anterior mas que, na quarta-feira de manhã, na semana passada, não se conseguia segurar de pé como estava a deixar de falar.

Quando estava a tentar apanhar-lhe o cabelo, viu a carraça, já inchada com o sangue da menina. Jessica tirou a carraça e colocou-a num saco de plástico, levando a filha de imediato para o hospital.

Lá, os médicos informaram-na que Kailyn estava a sofrer de uma condição rara, mas que já foi antes reportada: paralisia ou febre da carraça.

“Depois de um monte de análises e um exame à cabeça chegou-se à conclusão que era paralisia da carraça. POR FAVOR, por amor de Deus, verifiquem se as crianças não têm carraças. É mais comum em crianças do que em adultos”, alerta a mãe, na publicação que fez no Facebook. “Assustador é dizer pouco”, indicou.

A paralisia da carraça é causada por carraças fêmea que estão prestes a desovar. Depois de se alimentarem de sangue do hospedeiro, engordam e segregam uma neurotoxina que paralisa as extremidades, em primeiro lugar, mas que pode evoluir, segundo indica a Fundação norte-americana da Doença de Lyme.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.