Meteorologia

  • 18 OUTUBRO 2018
Tempo
19º
MIN 18º MÁX 19º

Edição

Demasiado treino pode matar o desejo sexual

O estudo comprovou o caso dos homens, mas acredita-se que a falta de libido associada ao treino também afete o sexo feminino.

Demasiado treino pode matar o desejo sexual
Notícias ao Minuto

23:30 - 18/01/18 por Notícias ao Minuto 

Lifestyle Sexo

A questão foi aberta por um grupo de investigadores de psicologia e nutrição da Universidade de Carolina de Norte que provou que o treino muito intenso ou durante muito tempo se relaciona com o decréscimo de libido - a fonte de energia associada ao desejo sexual.

Como explica Dr Tierney Lorenz (investigador sexual) à revista Women’s Helth UK, a excitação depende do fluxo de sangue na zona genital pelo que, qualquer atividade que promova este fluxo sanguíneo – exercício físico inclusive-, poderá levar a esta sensação sexual, que se associa ao SNS – Sistema nervoso simpático.

Tal ideia leva à noção de que o exercício físico aumentaria o desejo sexual. E assim o é, desde que não exceda o pico máximo do SNS. Contudo, o que se verifica com muita frequência é o chamado U invertido, quando o exercício físico em demasia leva a valores muito elevados de SNS que impedem a reprodução normal de libido.

Segundo Harkirat Mahal, CEO do site MotivatePT, é cada vez mais frequente verificar-se o U invertido nas mulheres, visto que o exercício físico como parte da rotina e a presença em corridas são aspetos cada vez mais comuns, um aumento que se verificou no curto espaço de três anos.

Além disso, as mulheres tendem a ser mais sensíveis que os homens, quando expostas ao exercício físico em demasia, o que se revê em baixos níveis de esterogénero e testosterona, que está presente no organismo da mulher, ainda que em menor quantidade que nos homens. Além da falta de apetite sexual, tal efeito pode também traduzir-se em dificuldades de reprodução, uma vez que o corpo humano precisa de uma certa quantidade de gordura para manter os níveis certos de hormonas do sistema reprodutivo.

Num nível mais avançado, que acontece principalmente em casos de atletas, há mais um fator que leva à falta de apetite sexual – falamos de casos em que a zona pélvica tem o músculo excessivamente trabalhado, tornando a penetração desconfortável que consequentemente leva à falta de apetite.

Qual a dose recomendada de exercício?

Há espaço para que haja exercício físico regular e uma vida sexual ativa. Pete McCall, professor de fitness da Academia Nacional de Medicina do Desporto sugere sessões de 45 minutos de treino, com exercícios a chegar à intensidade máxima, duas a três vezes por semana”.

Mesmo num nível social e não fisiológico, e ainda que haja bastantes benefícios numa pratica de exercício regula, importa que o exercício não seja exagerado e não condicione planos a dois. Em segundo lugar, falar sobre a vida sexual do casal e ter abertura para partilhar caso haja algum desconforto será saudável para a relação.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório