Meteorologia

  • 17 DEZEMBRO 2018
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 14º

Edição

Brinquedos sexuais mais seguros do que brinquedos para crianças

Os brinquedos sexuais contêm menos químicos perigosos do que os brinquedos para as crianças, concluiu a agência de inspeção de saúde da Suécia num relatório divulgado hoje.

Brinquedos sexuais mais seguros do que brinquedos para crianças
Notícias ao Minuto

17:39 - 23/01/17 por Lusa

Lifestyle Estudo

Num estudo realizado ao longo do ano passado, 2% dos 44 brinquedos sexuais analisados (e importados para a Suécia) continham químicos banidos por aquele país, afirmou a Agência Sueca de [Produtos] Químicos.

Num outro estudo realizado no ano anterior, a mesma agência testou 112 brinquedos para crianças na Suécia e descobriu que 15% continham substâncias químicas banidas, incluindo chumbo.

"Isto foi um pouco surpreendente. Foi a primeira vez que fizemos um estudo como este", disse à agência France Presse uma das inspetoras, Frida Ramstrom.

Dos 44 produtos sexuais testados, apenas um "dildo" [vibrador] de plástico continha uma substância proibida: parafinas cloradas, um produto que se obtém através da reação de gás de cloro com parafinas (que resultam de hidrocarbonetos) e que se suspeita poder causar cancro.

A agência sueca acrescentou que é difícil determinar o porquê de os brinquedos para crianças conterem mais químicos perigosos.

Um dos fatores que podem contribuir para esta situação, realçou a agência, é que os brinquedos sexuais são muitas vezes importados por grandes empresas, o que - por sua vez - pode fazer aumentar a pressão sobre os fabricantes para evitarem os químicos prejudiciais. Já os brinquedos para crianças são importados por empresas mais pequenas, muitas vezes sem a força necessária para fazer esse tipo de exigências, disse Bjorn Malmstrom, porta-voz da Agência Sueca de [Produtos] Químicos.

A lei sueca determina que os químicos nos brinquedos para crianças "não podem, em nenhum caso, constituir um risco para a saúde humana".

Três dos 44 brinquedos sexuais testados, feitos de couro artificial e ligaduras para "bondage" (prática sadomasoquista), continham um tipo de ftalatos acima do limite permitido, que é de 0,1%. Os ftalatos são um grupo de compostos químicos derivados do ácido ftálico, utilizado como aditivo para tornar o plástico mais maleável.

Este tipo de ftalatos não está proibido em brinquedos sexuais, mas encontra-se na lista da União Europeia de químicos que motivam "uma preocupação muito elevada", uma vez que podem afetar o equilíbrio hormonal humano e provocar infertilidade.

Por isso mesmo, as empresas são obrigadas a informar os consumidores caso os seus produtos contenham uma percentagem de ftalatos superior a 0,1%.

O mercado global de produtos sexuais tem um valor estimado de 18,6 mil milhões de euros por ano, de acordo com uma empresa analista britânica, a Technavio. A mesma empresa estima que este mercado vai crescer quase 7% ao ano entre 2016 e 2020.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório