Meteorologia

  • 14 JULHO 2024
Tempo
20º
MIN 15º MÁX 26º

Alzheimer. Sintomas precoces (e subtis) que jamais deve desvalorizar

Muito mais do que falta de memória. Não confunda!

Alzheimer. Sintomas precoces (e subtis) que jamais deve desvalorizar
Notícias ao Minuto

17:30 - 03/01/23 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Doenças neurológicas incapacitantes

Os números são pavorosos. A Alzheimer Europe estima que, em Portugal, existam cerca de 200 mil pessoas com demência e a tendência é para que os casos aumentem, em 2050, para 350 mil. Talvez também não imagine sequer que está provado que cerca de 40% das demências, como o Alzheimer (a forma mais comum de demência), podem ser prevenidas ou atrasadas.

Acontece que normalmente associamos esta e outras doenças à velhice, certo? O problema é quando damos por nós na idade adulta a apresentar sinais de alerta, muitas vezes desvalorizados.

Leia também: Alzheimer. "É fundamental aumentar o conhecimento sobre os números"

Tendo isso em mente, a Alzheimer's Association alerta para sintomas precoces de Alzheimer, uma doença neurodegenerativa que causa perda de memória e declínio cognitivo progressivos, perturbações da linguagem e até dificuldade em realizar tarefas como pagar contas e lidar com o dinheiro. Ei-los:

  • Alterações na capacidade de planeamento e dificuldades de cálculo;
  • Dificuldade em realizar tarefas simples;
  • Desorientação em locais conhecidos;
  • Perturbações da linguagem;
  • Alteração da memória.

Leia também: O poderoso alimento que pode ajudar a retardar a destruição de neurónios

Recorde-se que a demência é um termo genérico utilizado para designar um conjunto de doenças que se caracterizam por alterações cognitivas que podem estar associadas a perda de memória, alterações da linguagem e desorientação no tempo ou no espaço.

Para a maioria não existe tratamento, nem uma forma definitiva de prevenir a demência, e as perspectivas são más. A Organização Mundial de Saúde estima que existam 47.5 milhões de pessoas com demência em todo o mundo, número que pode chegar os 75.6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050, para 135.5 milhões. 

Leia também: Alzheimer. Medicamento reduz em quase 30% declínio mental de doentes

Recomendados para si

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório