Meteorologia

  • 30 JUNHO 2022
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 24º

As cirurgias plásticas mais pedidas pelos portugueses

Procura pela imagem 'perfeita' disparou na pandemia.

As cirurgias plásticas mais pedidas pelos portugueses
Notícias ao Minuto

06:04 - 28/01/22 por Notícias ao Minuto

Lifestyle Cirurgias plásticas

Rinoplastias, rejuvenescimento facial, cirurgia das pálpebras, substituição de próteses aumentos mamários e de glúteos foram os procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos mais procurados durante a pandemia. Em todos verifica-se um aumento da procura.

"Ao invés de outras necessidades que eram mais importantes no período pré pandémico como por exemplo gastos em deslocações, na aquisição de viaturas ou ainda em férias - que não foram realizados pelo confinamento e restrições existentes – a prioridade passou mesmo a ser a própria pessoa e o seu corpo", refere Tiago Baptista Fernandes, diretor clínico de cirurgia plástica e fundador da UP Clinic, em comunicado. Acrescenta ainda: "Notamos uma vontade maior das pessoas “investirem” nelas próprias.  A possibilidade de poderem trabalhar em casa com a modalidade de teletrabalho e evitarem a exposição após um procedimento, principalmente na cirurgia plástica, também deverá ser considerado".

Dados da Up Clinic mostram que a procura por rinoplastias subiu 144%. Verificou-se ainda uma elevada procura pela cirurgia periocular, rejuvenescimento das pálpebras e sobrancelhas. Houve um aumento de 55% nas blefaroplastias ou cirurgias das pálpebras.

No corpo, os procedimentos que se destacam comparativamente aos anos anteriores à pandemia são as cirurgias para substituição das próteses (60%), seguidas dos aumentos mamários com ou sem 'lifting' (40%) e o aumento de glúteos (40%).

Salienta-se ainda o crescimento na generalidade dos procedimentos minimamente invasivos entre pessoas com 30 e 40 anos, tanto em mulheres como em homens.

Na área não cirúrgica, houve uma maior procura pelos procedimentos de rejuvenescimento facial quando comparados com os corporais. No período pré pandémico o rácio era de 70% de face vs. 30% de corpo, durante a pandemia este rácio passou para 90% de face vs. 10% de corpo relativamente aos procedimentos de medicina estética.

A utilização de máscara imposta pela pandemia levou a que a zona do rosto mais exposta fosse a que vai da raiz do cabelo até a linha da sobrancelha, pelo que esta passou a ser vista como uma prioridade para muitos. O procedimento que teve maior crescimento foi a hialoestrutura, rejuvenescimento global e integral da face e pescoço, com 30% de aumento. Os tratamentos da zona periocular aumentaram cerca de 20%. As olheiras e pálpebras foram as principais preocupações.

Devido à menor exposição solar houve uma estabilização dos peelings e lasers efetuados, tendo sido largamente compensados pelo aumento dos tratamentos com injetáveis e fios, respetivamente na face e pescoço. Neste sentido, a melhoria da qualidade da pele também representou uma importante motivação com um aumento de 20% na procura dos tratamentos com este propósito.

Leia Também: Estudo sugere relação entre implantes de silicone com doença autoimune

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Sexto ano consecutivo Escolha do Consumidor e Prémio Cinco Estrelas para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório