Meteorologia

  • 30 NOVEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 7º MÁX 15º

Edição

O alimento que não deve menosprezar - e que faz bem ao cérebro

É fã?

O alimento que não deve menosprezar - e que faz bem ao cérebro

Alerta, gulosos. Segundo um estudo realizado por um grupo de investigadores da Universidade de Barcelona, em Espanha, comer amendoins (ou pasta de amendoim) ajuda a manter o cérebro saudável.  

De acordo com o portal Eat This, Not That!, os investigadores explicam que os polifenois presentes neste alimento constituem um fator importante. 

A equipa propôs-se a analisar, durante um período de seis meses, os efeitos do amendoim na saúde cerebral de jovens adultos saudáveis, entre os 18 e os 33 anos. Os participantes foram separados por três grupos: ao primeiro foram dados amendoins tostados com  pele; a outro, manteiga de amendoim; e, por fim, uma manteiga constituída por macronutrientes muito semelhantes aos do amendoim e da manteiga de amendoim, mas que não contém quaisquer fibras ou compostos fenólicos.

Meio ano depois, as descobertas mostram que os amendoins e a manteiga de amendoim produziram um efeito positivo na saúde cognitiva dos participantes. Aqueles que comeram os amendoins tostados ou a manteiga de amendoim, por exemplo, viram melhorias na memória. 

Mas há mais. Todos os participantes apresentam menos sintomas de depressão. No entanto, só o grupo que comeu os amendoins nota uma redução nos níveis de ansiedade.

Leia Também: Muito cuidado. Este alimento aumenta o apetite

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório