Meteorologia

  • 08 DEZEMBRO 2021
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 15º

Edição

Tomar duas doses da vacina "reduz risco de Covid persistente em um terço"

Um novo estudo aponta que a administração das duas doses do imunizante contra o novo coronavírus SARS-CoV-2 diminui significativamente a probabilidade de experienciar sintomas associados à chamada Covid persistente ou Covid longa.

Tomar duas doses da vacina "reduz risco de Covid persistente em um terço"

A Covid persistente é uma condição caracterizada pela presença constante de sintomas associados ao novo coronavírus mesmo meses após a infeção inicial.

Segundo os especialistas, os problemas mais comuns incluem a sensação de fatiga exacerbada e dor de cabeça. Sendo que outros sintomas englobam perda de cabelo, temperatura elevada e insónias. 

Leia Também: Covid-19: Os principais sintomas mudaram, eis os sinais a ter em atenção

O artigo científico publicado pelo Tony Blair Institute, no Reino Unido, e citado no jornal The Sun, discute a "pandemia escondida" causada pela Covid persistente com investigadores da prestigiada universidade King's College London. 

O professor Tim Spector, por trás da aplicação de monotorização de contágios Zoe Covid Symptom Study App, que esteve envolvido no estudo, disse: "a Covid persistente continua a ser, de muitas formas, uma pandemia escondida". 

"Enquanto 130,000 pessoas no Reino Unido já morreram de Covid-19, estima-se que mais de 1 milhão tenha experienciado ou continue a experienciar sintomas contínuos da infeção, conhecida por Covid persistente". 

Acrescentando: "apesar de atualmente se saber que a vacinação dupla reduz as chances de infeção em cerca de 85%, a nossa investigação indica igualmente que as vacinas também diminuem o risco, se alguém ficar infetado, de desenvolver Covid longa em aproximadamente 30%". 

"Isto é, reduz o risco de Covid persistente em um terço". 

De acordo com Spector, a possibilidade de sofrer de sintomas prolongados não parece ainda assim estar associada ao quão doente a pessoa fica, quando é inicialmente afetada pela Covid-19. 

Os especialistas sublinham que os indivíduos podem ser vítimas de Covid longa mesmo estando em forma, sendo saudáveis e jovens. 

Embora, pareçam existir alguns fatores de risco - nomeadamente ser mulher, com idade entre os 35 e os 69 anos, sofrer de obesidade ou de comorbidades prévias, viver em áreas economicamente desfavorecidas ou trabalhar no setor da saúde.

Leia Também: Covid-19: Estes são os principais sintomas da variante Delta

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

;

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório