Meteorologia

  • 28 SETEMBRO 2020
Tempo
27º
MIN 15º MÁX 27º

Edição

Espermatozóides não nadam como se acreditava há mais de 300 anos

Em vez de serpentear, há um movimento semelhante ao de um saca-rolhas.

Espermatozóides não nadam como se acreditava há mais de 300 anos

Investigadores da Universidade de Bristol e da Universidade Nacional Autónoma do México revelaram, num estudo publicado esta sexta-feira na revista científica Science Advances, que os espermatozóides não nadam como se acreditava há mais de 300 anos. 

Até hoje, a concepção da mobilidade do espermatozóide baseou-se nas descobertas de Antonie van Leeuwenhoek. Em 1678, o cientista holandês e pioneiro em microbiologia usou um dos primeiros microscópios (construído por si) para analisar o seu próprio esperma descrevendo-o como uma “cauda que, ao nadar, serpenteia, como enguias na água”. Mas, segundo o novo estudo, esse movimento é apenas uma ilusão de ótica.

Com recurso à microscopia em 3D, os investigadores Hermes Gadêlha, Gabriel Corkidi e Alberto Darszon conseguiram reconstituir o verdadeiro movimento do espermatozóide.

Assim, utilizando uma câmara de alta velocidade capaz de capturar 55 mil imagens por segundo e um microscópio adaptado com um dispositivo que gera tensão eléctrica, permitindo mover a amostra a elevada velocidade para cima e para baixo, foi possível captar o movimento completo das células em 3D.

Essas imagens relevaram que a cauda do espermatozóide se mexe apenas para um lado. Desta forma, para conseguir nadar para a frente, ele gira, como um saca-rolhas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório