Meteorologia

  • 06 ABRIL 2020
Tempo
15º
MIN 14º MÁX 18º

Edição

Do cancro à diabetes. Os objetos 'inocentes' que alteram as suas hormonas

Existem cerca de 800 compostos químicos suspeitos de interferir no sistema hormonal, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), ‘escondidos’ em embalagens de alimentos, em brinquedos ou cosméticos.

Do cancro à diabetes. Os objetos 'inocentes' que alteram as suas hormonas
Notícias ao Minuto

09:35 - 24/02/20 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Risco de cancro

Grande parte desses compostos ainda está a ser submetida a estudos adicionais, porém conforme avança a BBC News a Comissão Europeia garante que pelo menos 66 dessas substâncias, como bisfenol A (BPA), dioxina, atrazina e vários ftalatos (BBP, DEHP, DOP e DBP), revelam ter uma clara “perturbação da atividade endócrina".

O alerta foi parte integrante de uma proposta divulgada pela OMS com o objetivo de regular o seu uso. Cada vez mais pesquisas com animais associam esses compostos a danos à saúde que vão incluem cancro, diabetes ou infertilidade.

Contudo, ainda faltam evidências do seu impacto real nos seres humanos. Como tal, essas substâncias continuam presentes em centenas de produtos de consumo diário.

Segundo a BBC, os ftalatos são usados, por exemplo, em produtos coloridos, como brinquedos infantis e sexuais, produtos de limpeza, como detergentes, embalagens de alimentos, produtos de beleza, como verniz de unhas, sprays para o cabelo, loções de barbear, sabonetes, champôs, perfumes e outros produtos com fragância. Outro exemplo é o bisfenol A (BPA), presente em garrafas de plástico ou latas, cosméticos, brinquedos, CDs e, até há pouco tempo, em biberões.

Exposição precoce relacionada a risco para a vida toda

Os humanos são mais vulneráveis a esses compostos durante certos períodos do desenvolvimento como dentro do útero da mãe e na puberdade.

A OMS diz que os efeitos da exposição precoce ao composto podem se manifestar em qualquer momento da vida, através de cancro da mama e da próstata, infertilidade, puberdade precoce, obesidade, transtornos metabólicos e diabetes tipo 2.

É possível minimizar a exposição?

Hoje é difícil saber qual é a composição exata dos produtos que consumimos. Em 2015, a Agência Química Sueca analisou 112 brinquedos no país e descobriu que 15% deles tinham substâncias químicas proibidas.

No caso de produtos cosméticos e de higiene, os fabricantes não são obrigados a incluí-los na lista de ingredientes dos produtos. Por isso, com frequência, o ftalatos estão ‘escondidos’ por trás da palavra ‘fragrância’.

A BBC aponta algumas dicas para evitar estas substâncias danosas:

1. Escolher cremes, detergentes e produtos sem fragrância pode reduzir a exposição aos ftalatos.

2. Dar preferência materiais alternativos ao plástico, como a madeira, ao comprar brinquedos para as crianças.

3. No caso de embalagens de comida, preferir vidro ao invés de latas, que normalmente são forradas com BPA, e plásticos.

Mas, segundo os especialistas, há pouco que os indivíduos possam fazer individualmente. As principais mudanças deveriam surgir, afirmam, da regulação da indústria, como restringindo o uso desses compostos químicos e procurando outras alternativas viáveis.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório