Meteorologia

  • 27 FEVEREIRO 2020
Tempo
10º
MIN 8º MÁX 19º

Edição

Entenda o que é a Síndrome de Tourette, a doença que afeta Billie Eilish

O transtorno que afeta, 0,6% da população mundial manifesta-se sobretudo através de tiques vocais ou motores que ocorrem logo na infância. A falta de conhecimento e de compreensão que ainda existe sobre a Síndrome de Tourette resulta frequentemente em preconceito.

Entenda o que é a Síndrome de Tourette, a doença que afeta Billie Eilish
Notícias ao Minuto

07:00 - 13/01/20 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Tourette e Billie Eilish

A personalidade original e rebelde da cantora Billie Eilish fez com que inicialmente muitos dos seus fãs considerassem alguns dos seus comportamentos atípicos, como revirar os olhos e entortar o pescoço, pura brincadeira e atrevimento. Contudo, e como revela a revista Galileu, numa entrevista que não havia sido editada, tornou-se evidente que algo mais se passava com a artista. Posteriormente, Billie revelou publicamente que sofre de Síndrome de Tourette.

Segundo o neurologista Fábio Porto, em entrevista à Galileu, a Síndrome de Tourette é um distúrbio neuropsiquiátrico que se destaca pelo aparecimento de tiques ainda na infância. Esses trejeitos são movimentos involuntários e estereotipados que ocorrem sem qualquer controlo da pessoa, ou quando os afetados estão sujeitos a situações de stress.

Os trejeitos mencionados são categorizados como vocais ou motores e simples ou complexos. Alguns exemplos de tiques motores simples incluem fazer caretas e estalar a mandíbula, já os tiques motores complexos vão desde desde rodopiar e saltar, até tropeçar de propósito. 

Os tiques vocais simples são caracterizados pela emissão de sons comuns, como gemer, gritar ou imitar animais, como por exemplo latir. Por outro lado, os trejeitos vocais complexos englobam repetir a fala de pessoas ao seu redor, recitar frases e por vezes dizer palavrões. 

Porto explicou à revista Galileu que ainda se desconhece o que causa o surgimento da Síndrome de Tourette. “Sabemos que é algo genético. Há um padrão de herança que ocorre em famílias, flutuando em intensidade de geração em geração”, diz. Todavia, os neurologistas creem que o meio no qual o indivíduo nasce e é criado pode de algum modo contribuir ou não para o desenvolvimento da condição. 

Tratamento

Ainda não há cura para a Síndrome de Tourette, porém existem tratamentos que ajudam a controlar e a gerir o problema. Desde a toma de fármacos com o intuito de regular os níveis de serotonina e de dopamina, ou frequentar sessões de terapia comportamentais e psiquiátricas.

A cirurgia também é uma solução para os casos mais severos e complexos. O método invasivo é destinado a atenuar os sintomas motores, 'desligando' parte dos nervos do paciente. Para os especialistas, o método ajuda no abrandamento dos tiques e evita que o doente se magoe a si ou aos demais. 

A Síndrome de Tourette raramente vem só...

“Parte dos pacientes apresenta sintomas de transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e transtorno do défice de atenção com hiperatividade (TDAH)”, explicou o Fábio Porto à revista Galileu. “Também é frequente o aparecimento de doenças como a depressão, problemas de ansiedade, alterações comportamentais e impulsividade". 

De acordo com estimativas do Centro para Controle de Doenças e Prevenção dos Estados Unidos pelo menos 63% dos pacientes com Tourette sofrem igualmente de TDAH, 49% de ansiedade e 47% apresentam dificuldades de aprendizagem. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo quarto ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório