Meteorologia

  • 20 SETEMBRO 2021
Tempo
20º
MIN 17º MÁX 27º

Edição

Doses excessivas de paracetamol podem matar. Saiba quando é demais

Nesta época do ano, em que gripes e constipações costumam atacar, é ainda mais comum recorrer ao paracetamol para aliviar dores e febres.

Doses excessivas de paracetamol podem matar. Saiba quando é demais
Notícias ao Minuto

19:00 - 18/12/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Riscos do paracetamol

Vendido em comprimidos e em gotas, o fármaco também está presente em medicamentos compostos que prometem atenuar e combater o desconforto provocado por doenças. Não ter em atenção as fórmulas leva, muitas vezes, à ingestão acidental de paracetamol em quantidades maiores do que a dose máxima diária, o que pode inclusive causar insuficiência do fígado e a morte.

Para adultos, o limite é de quatro gramas (ou oito comprimidos de 500 mg). Já para crianças, a administração da substância não pode ultrapassar 75 mg por quilo de peso por dia. O problema é que fatores de risco como viroses e desidratação potencializam o efeito hepatotóxico do medicamento, o que pode tornar perigosas mesmo doses menores do que essas.

"Mesmo sendo de venda livre, o paracetamol não é isento de riscos. Tomar o comprimido bel-prazer pode acarretar danos graves. Alguma orientação médica é necessária", alerta o hepatologista Carlos Terra, presidente do Grupo de Fígado do Rio do Janeiro (GFRJ) e professor adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), no Brasil, em declarações à publicação Extra.

Para o professor de infectologia Edimilson Migowski, diretor do Instituto de Pediatria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a prescrição da substância só é válida para pacientes com alergia à dipirona e ao ibuprofeno.

"Estudos revelam que os dois são mais seguros e eficazes do que o paracetamol nas ações analgésica e antitérmica", afirma o especialista.

Ainda segundo Edimilson Migowski, o paracetamol é o analgésico e antitérmico mais perigoso para o fígado. Nos Estados Unidos e na Europa, a utilização negligente do medicamento é a principal causa de insuficiência hepática.

"O paracetamol serve para aliviar sintomas, não para tratá-los. Por isso, deve ser usado de forma comedida", sublinha o médico. 

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório