Meteorologia

  • 09 DEZEMBRO 2019
Tempo
17º
MIN 11º MÁX 17º

Edição

Dia Mundial da Terra: Oito hábitos para proteger o ambiente

Para assinalar o Dia Mundial da Terra que se celebra hoje, dia 22 de Abril, a My Nametags juntou oito boas práticas que os mais pequenos poderão adotar desde cedo de forma a proteger o planeta.

Dia Mundial da Terra: Oito hábitos para proteger o ambiente
Notícias ao Minuto

17:00 - 22/04/19 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Pegada ecológica

A sustentabilidade não é uma palavra nova e já faz parte do currículo escolar há algum tempo, bem como do dia-a-dia das famílias. No entanto, continua por vezes a ser vago e algo generalista.

Um estudo divulgado pela SAR (Seas At Risk) fornece factos preocupantes sobre as quantidades de plástico descartável que é utilizado, na vida quotidiana dos europeus e que contribui significativamente para a poluição da Terra, nomeadamente, dos oceanos que representam 71% da superfície do planeta. O estudo revela que só em Portugal são consumidos anualmente 721 milhões de garrafas de plástico, 259 milhões de copos de café, 1 milhar de milhões de palhinhas, 40 milhões de embalagens de fast-food e 10 mil milhões de beatas de cigarro.

Para Lars Anderson, CEO da My Nametags “é urgente, adotar desde a infância, hábitos de vida sustentáveis vão para além da questão ambiental, pois ao falar de preservação e cuidado, revelamos preocupação para que as gerações futuras tenham acesso ao que hoje é para nós acessível e isso é um grande ato de generosidade”.

Separar o lixo, não desperdiçar água nem energia, ou mesmo a diminuição do consumo em geral, acaba por já estar incutido no pensamento dos mais novos. Mas quais os pequenos hábitos do quotidiano que ainda podemos melhorar?

A My Nametags deixa oito boas práticas para a diminução da pegada ecológica:

Sacos de Pano Vs Sacos de Plástico

Estima-se que, anualmente, 18 mil milhões de resíduos plásticos entrem nos oceanos a partir de zonas costeiras, o equivalente a cinco sacos de compras de supermercado que se amontoam em cada 30 centímetros de costa, à escala planetária.

Quantas vezes ao fazermos a mochila do nosso filho, com o equipamento para a Educação Física, guardamos os ténis num saco de plástico de forma a evitar o contacto direto com a roupa? Os sacos de pano já não são propriamente uma novidade, mas se pensarmos a fundo na quantidade de formas em que os poderemos utilizar, depressa constatamos que ainda os utilizamos muito pouco. Um saco de pano para acondicionar roupa ou outros tipo de objetos será sempre uma solução mais eco-friendly.

Palhinhas alternativas

A discussão em torno da utilização de palhinhas é mais do que muita e hoje em dia, há diversos estabelecimentos e marcas que estão a abolir a sua disponibilização para consumo, pois sabe-se que é uma das maiores fontes de poluição.

A Walt Disney Company anunciou no final de 2018 a supressão do uso de palhinhas e palhetas de plástico descartáveis em quase todos os parques temáticos e estâncias turísticas da marca. Esta política, que entrará em vigor ainda em 2019, permitirá cortar mais de 175 milhões de palhinhas e 13 milhões de palhetas que são consumidas, anualmente, nas diversas unidades de diversão.Existem no mercado várias soluções alternativas ao plástico. Metal, madeira ou até massa são alguns dos materias que se apresentam como alternativa às palhinhas que  conhecemos e permitem que sejam reutilizáveis ou até comestíveis. 

Lancheiras

As lancheiras já se utilizam provavelmente há séculos e se hoje associamos mais ao público infantil, em tempos não havia operário em plena revolução industrial que não transportasse o seu farnel numa lancheira. Com a introdução dos artigos descartáveis e do plástico no nosso quotidiano, rapidamente passou a ser prático colocar o lanche num saco, dentro da mochila.

Se recuarmos um pouco, a utilização da lancheira de forma a evitar a utilização do plástico, parece-nos ser uma boa prática a seguir e hoje em dia, a oferta existente no mercado, permite agradar até as crianças mais exigentes.

Vegetariano por um dia

Diversos estudos apontam para a necessidade de reduzir em 75% consumo de carne de vaca e em 90% a carne de porco, para reverter a situação de sobreprodução e extrema poluição. A carne produz uma emissão de gás elevadíssima. Tendo em conta que em Portugal existe um milhão e meio de cabeças de gado, e sabendo que cada vaca envia para a atmosfera 500 litros de metano, temos 750 milhões de litros deste gás na atmosfera todos os anos apenas devido ao gado bovino existente. Por outro lado, sabe-se que há uma sobrepesca junto à nossa orla costeira e que só nos meses de Verão se está a consumir o peixe que deveria servir para consumo ao longo de todo o ano.

Uma boa prática para atenuar este efeito poderá passar por aderir à iniciativa “Segunda sem carne” iniciada pelo ex-Beatle Paul McCartney na MeetFreeMondays. Ao mesmo tempo que contribui para a diminuição da poluição este poderá ser um desafio que para hábitos de vida saudáveis de forma divertida com a sua família.

Fraldas reutilizáveis

Sabe-se que em média um recém-nascido pode gastar até 11 fraldas por dia e que os bebés com mais idade utilizam cerca de seis a 10 fraldas descartáveis por dia. Se um bebé deixar as fraldas por volta dos dois anos de idade, terá gasto cerca de 7.500 a 8.000 fraldas descartáveis.Se tivermos em consideração que nascem cerca de 100 mil bebés por ano em Portugal, serão 100 mil toneladas a cada 2,5 anos, ou seja cerca de 40 mil toneladas/ano só em fraldas infantis. E sabendo que uma só fralda descartável leva 600 anos a decompor-se na totalidade, não é necessário fazer contas para perceber o efeito nefasto que este tipo de material exerce no meio ambiente.Pode parecer um retrocesso voltarmos às fraldas de pano, mas a verdade é que já existem no mercado diversas opções no mercado para a reutilização de fraldas, zelando pelo conforto do seu bebé, do planeta e até da sua carteira.

Brinquedos

Quem nunca olhou para o chão do quarto do seu filho e deitou as mãos à cabeça com a quantidade de brinquedos espalhados? Muitos deles acabam partidos, outros cumprem a sua função por um período muito curto e outros nem saem da caixa tal não é a oferta existente. Sem pensarmos muito no assunto, vamo-nos desfazendo deles aumentando mais uma vez a quantidade de plástico no ambiente. 

Os brinquedos de plástico podem poluir as casas com minúsculas partículas de plástico. Devido ao seu tamanho minúsculo, os microplásticos podem ser inalados e induzir uma enorme variedade de doenças, incluindo as respiratórias, as cardiovasculares e até mesmo o cancro, revela o World Economic Forum.A regra aqui é: poucos, mas duradouros. Existem diversos brinquedos em madeira ou feitos de material resistente, bastante mais amigos do ambiente que farão o seu filho esboçar o mesmo sorriso que ao receber um em plástico.

Garrafas reutilizáveis

As garrafas de plástico foram sem dúvida uma revolução no que toca à forma como  conseguimos transportar água de forma leve e prática. No entanto, a forma descartável com que as utilizamos, muitas vezes uma única vez, é fonte de grande produção e consequente acumulação de plástico. Cerca de 40 por cento do volume total de plástico produzido é usado no fabrico de embalagens, e grande parte é usada apenas uma vez e deitada fora a seguir.

Menos de um quinto do volume total de plástico é reciclado, embora muitos países e empresas procurem soluções inovadoras para aumentar este número. As garrafas reutilizáveis, disponíveis em materiais, cores e feitios diversos mantêm a praticabilidade do objeto e reduz significativamente a nossa pegada no planeta. A importância da hidratação é mais do que conhecida e esta é também uma forma divertida de levar as crianças a beberem mais água.

Festas infantis

O flagelo da utilização do plástico. Todos sabemos o quão prático é chegar ao fim de uma festa para crianças e deitar todos os copos, talheres e pratos de plástico descartáveis para dentro de um saco e ficar com a casa limpa num ápice.A produção em massa de plástico, que teve início há apenas seis décadas, cresceu tão rapidamente que criou 8,3 mil milhões de toneladas — na sua maioria, relativa a produtos descartáveis. 

Se olharmos para a vertente ambiental, existem alternativas igualmente apelativas para as crianças e que nos ajudam a contribuir para a preservação do planeta. Loiça de plástico colorida e reutilizável pode ser uma boa alternativa. Durável, inquebrável e reútilizável, durará toda a infância dos seus filhos e o planeta agradece!

No capítulo decoração, há ainda muitas opções feitas à base de tecidos e papel. Para os presentes, optar por embrulhos feitos de restos de revistas ou jornais, pode ser uma boa escolha. Além de ecológicos, são originais!

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório