Meteorologia

  • 24 OUTUBRO 2019
Tempo
13º
MIN 12º MÁX 21º

Edição

Marcou um encontro romântico? Saiba quão tolerante pode ser o seu par

Quanto tempo estamos dispostos a esperar pela nossa cara-metade para um encontro? O Dia de São Valentim está a chegar e a AirHelp, especialista no que diz respeito a pontualidade, investigou qual é o tempo de atraso aceitável quando se trata de um encontro romântico.

Marcou um encontro romântico? Saiba quão tolerante pode ser o seu par

O Dia de São Valentim é uma das datas festivas menos consensuais, sendo assinalada de formas muito diferentes em todo o mundo. Num estudo realizado em 13 países (Portugal incluído), englobando no total mais de 3400 inquiridos, a AirHelp – empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos e especialista na obtenção de compensações por perturbações em voos – concluiu que cerca de 33,7% dos inquiridos têm um encontro marcado para 14 de fevereiro, enquanto 32% não têm planos.

Os americanos e os canadianos são os menos românticos, já que a maioria dos inquiridos opta por não fazer planos. Por outro lado, os britânicos e os franceses são os que mais saem em encontros amorosos. Em Portugal, a maior tendência é também comemorar a data com a cara-metade, segundo a resposta de 38,5% dos inquiridos.

Quanto é que o amor pode esperar

Para quem planeou um encontro amoroso a pontualidade é importante. No entanto, a AirHelp descobriu que 35,8% dos entrevistados estão dispostos a esperar 30 minutos, enquanto 30,7% admitem aguardar 1 hora (40,3% dos portugueses inquiridos encontram-se neste grupo). E ainda há quem seja mesmo muito paciente e não se importe de esperar 3 horas ou mais (11%).

Diferentes países têm tolerâncias distintas quanto a atrasos. Os portugueses (habitualmente conotados com uma tendência natural para derrapar nos horários) são os que mostram maior abertura para esperar três horas ou mais pelo seu par (18% dos inquiridos), seguidos de 16,4% dos franceses. Quase tão pacientes são os escandinavos (15% dos inquiridos suecos e dinamarqueses). Fora da Europa, os mais tolerantes são os brasileiros, com 17,4% dos inquiridos capazes de esperar uns longos 180 minutos pelo seu amor. Os alemães, espanhóis e britânicos são menos pacientes – a maioria dos inquiridos está disposta a esperar apenas 30 minutos.

Escapadelas românticas

Embora o Dia dos Namorados não seja um feriado, muitos casais aproveitam a oportunidade para comemorar de forma especial. A AirHelp apurou que cerca de 8,5% dos participantes no estudo viajam nesta data, muito provavelmente para celebrar num refúgio romântico.

Mas os imprevistos acontecem, mesmo com o planeamento mas cuidadoso. No ano passado, mais de 14.600 voos realizados no Dia de São Valentim sofreram atrasos ou foram cancelados. Cerca de 150 voos atrasaram-se três horas ou mais, resultando em cerca de 3,8 milhões de euros em compensações a pagar aos passageiros afetados.

Voos atrasados significam mais do que reservas de hotel perdidas ou concertos falhados, por exemplo. Embora seja impossível recuperar o tempo perdido com quem amamos, a AirHelp relembra que os passageiros podem cobrir algumas das perdas, ao submeter pedidos de compensação às companhias aéreas. Voos com atrasos iguais ou superiores a três horas são elegíveis a receber compensações de até 600 euros por pessoa, de acordo com o regulamento europeu EC261. Os passageiros podem verificar se o seu voo é elegível a receber compensação através da AirHelp.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório