Meteorologia

  • 21 JANEIRO 2019
Tempo
14º
MIN 13º MÁX 15º

Edição

Afinal, qual é a ceia de Natal mais calórica da Europa?

Para muitos de nós, o Natal é um momento especial. Cada família, cada região tem as suas próprias tradições para comemorar o Natal. Alguns celebram o Natal apenas no dia 24 de dezembro, outros no dia 25. Alguns celebram durante dois dias, outros ainda mais...

Afinal, qual é a ceia de Natal mais calórica da Europa?
Notícias ao Minuto

20:00 - 12/12/18 por Liliana Lopes Monteiro  

Lifestyle Cuidado com a dieta

Não importa a data preferida para celebrar o natal, é a ementa de Natal que é sempre o assunto principal. E por um bom motivo, a preparação começa com vários dias de antecedência e é pontuada pela compra de, por exemplo, no caso de Portugal, um bom bacalhau e um polvo de qualidade.

Segundo o estudo elaborado pelo blog Treated, todos têm a sua própria interpretação de como deve ser a refeição de Natal perfeita e o que deve ou não estar na mesa. Esta é uma questão levada a sério por muitos portugueses.

Em Portugal, a ceia de Natal é chamada de Consoada e celebra-se na noite do dia 24 de dezembro. Existem muitas variações na escolha da ementa. Na região de Beiras e Estremadura, por exemplo, o cabrito assado é o prato principal. Já no Alentejo e no Algarve, o Peru assado fica ao centro da mesa. No norte do país, no Douro, Minho e Trás-os-Montes, o Bacalhau e o Polvo são comidos no dia 24 e o Peru assado recheado no almoço do dia 25. Há ainda os Açores e a Madeira, com outros pratos à mesa, como a canja, que antecede o prato principal, que varia.

No entanto, apesar das disparidades que serão observadas de uma família para outra, ou de uma região para outra, se há um elemento comum a todos, é a quantidade de calorias consumidas durante esta época festiva. O Natal é certamente a época do ano em que nos permitimos todos os excessos alimentares.

De acordo com um estudo britânico publicado em dezembro de 2014, seis mil calorias são consumidas em média durante as refeições na época do Natal. A tradicional refeição britânica tem, naturalmente, as suas especificidades como o pudim de Natal, mas também inclui peru, batatas fritas e o vinho.

De fato, embora o Natal seja celebrado em toda a Europa, cada país tem as suas próprias tradições culinárias.

Somos os únicos a ter uma refeição de alto teor calórico? As nossas tradições de Natal são tão diferentes dos nossos vizinhos europeus?

Alguns países europeus tradicionalmente têm um almoço ou jantar de Natal com base em alimentos altamente calóricos e maus para o colesterol. Outros países favorecem opções muito mais equilibradas para a saúde. Há também muitas curiosidades acerca dos pratos servidos no natal que nos permite pensar em como algumas tradições alimentares estão mais conectadas do que sabemos.

Principais descobertas:

O Reino Unido e a Irlanda estão empatados no topo da classificação e recebem os títulos de ceia de Natal mais calóricas da Europa.

A surpresa para nós portugueses é que Portugal vem logo após a França, que está em segundo lugar com um resultado muito próximo, apenas 8 calorias a menos.

A Lituânia tem uma tradição culinária muito mais modesta e ganha o título de refeição de Natal europeia mais equilibrada. A República Checa vem logo atrás da Lituânia.

Existe uma associação entre a duração dos feriados ao final do ano e o número de calorias consumidas?

É interessante notar uma ligeira correlação inversa entre o valor calórico dos pratos de Natal e o número de feriados em cada país.

Na França e em Portugal, um dos países com o maior número de calorias, apenas dois feriados são instituídos (Natal e Ano Novo).

No Reino Unido, são três dias de feriados: o dia de Natal, o Boxing Day (26 de dezembro) e o dia de Ano Novo.

A Lituânia tem quatro feriados (24-25-26 de dezembro e 1 de janeiro).

Na Finlândia, além desses quatro dias, a epifania também é feriado, totalizando 5 feriados.

A Islândia também oferece cinco feriados (24-25-26-31 de dezembro e 1 de janeiro).

Em cada um desses três últimos países mencionados, o número de calorias contadas é inferior a 2.500 calorias. A verdade é que, não importa o quanto irá comer na consoada, muitas pessoas inevitavelmente terão de voltar ao trabalho no dia seguinte, como é o caso de Portugal.

Este não é o caso dos britânicos. Boxing Day é uma tradição muito inglesa que marca o início dos saldos de inverno. No entanto, a maioria dos ingleses prefere desfrutar uma refeição casual em frente à TV a assistir jogos de futebol.

Se as calorias consumidas fossem contadas ao longo da semana, países como a Finlândia ou a Islândia provavelmente teriam uma classificação muito menos lisonjeira.

As modestas tradições da Lituânia

Em relação às calorias contadas, as tradições bastante solenes da Lituânia jogam a favor dos seus habitantes. Os 12 tradicionais jantares de Natal são uma tradição religiosa ainda muito respeitada na Ucrânia e na Polónia, bem como na Lituânia. Existem pequenas diferenças, no entanto, dependendo da região.

Tradicionalmente, a refeição lituana de Natal não contém carne, produtos lácteos ou álcool. Consiste mais em peixe e vegetais. Na Lituânia, as preparações doces também são exceções. É por isso que o número de calorias contadas é relativamente baixo.

Quais são as surpresas da classificação?

A Itália, conhecida mundialmente por sua gastronomia considerada saudável, tem uma ceia de natal com 2.721 calorias no total. A Espanha, que também segue a dieta mediterrânica, está entre os 5 países na Europa com consoadas mais calóricas.

Portugal, apesar de ter o bacalhau como principal prato em muitas regiões, ou seja, peixe na ceia de natal, acaba por exagerar nos doces e nas entradas. Isto faz com que Portugal esteja em terceiro lugar na classificação da ceia de natal mais calórica da Europa, apenas atrás do Reino Unido e Irlanda (empatados na primeira posição) e da França, em segundo lugar.

Quais são as consequências para a saúde?

Como já sabemos, o consumo de um grande número de alimentos açucarados e gordurosos favorece os problemas de saúde. Hipertensão arterial, colesterol alto, diabetes tipo 2 e obesidade, todos têm consequências para hábitos alimentares desequilibrados.

Vale lembrar que, em Portugal, estima-se que um milhão de adultos estejam obesos. Na França não é muito diferente, onde 15% da população adulta é obesa. Já no Reino Unido, um em cada quatro adultos é obeso.

O número recomendado de calorias a serem consumidas por dia para mulheres e homens é entre 2000 e 2500 Kcal. Ao comparar estes números com as 3.209 calorias consumidas para a refeição de Natal, entendemos muito bem o excesso que podemos cometer neste dia.

Obviamente, o feriado do Natal são um evento único no ano e se é uma festa tão apreciada, é também porque se permite excessos alimentares excecionais.

Mesmo que a ocasião seja excecional, não se deve negligenciar as consequências que tal cardápio tem no seu corpo:

Para comparação, uma pessoa pesando 70 kg terá que andar cerca de 14 horas ou correr quase quatro horas e meia para gastar as calorias ingeridas.

Se colocarmos estes dados em perspetiva:

Deve andar uma hora a mais a cada dia ou trinta minutos extras por dia durante duas semanas. Duas semanas de exercícios são, portanto, necessárias para eliminar os seus excessos de Natal.

Como posso consumir menos calorias no Natal?

Existem vários métodos para reduzir o número de calorias consumidas durante a consoada.

Pode cozinhar de forma diferente. Por exemplo, use azeite de oliva ao invés de gordura de porco, por exemplo. Concentre-se em carnes brancas ao invés de vermelhas e evite carnes processadas, como os chouriços ou os enchidos.

Outra opção é adicionar os vegetais no seu prato primeiro e depois servir as proteínas, hidratos de carbono e condimentos. Com esta técnica, acaba por certificar-se de comer mais alimentos ricos em fibras e menos gordura.

Pode ser interessante inspirar-se nos nossos vizinhos escandinavos e mediterrânicos. Claro, isto pode ir contra as nossas tradições de Natal, mas para algumas pessoas que procuram uma alternativa mais equilibrada, esta pode ser a resposta. Não é nem preciso alterar muito a ementa, basta, por exemplo, preparar o próprio bacalhau da consoada, ao invés do Peru ou Pernil assado e evitar consumir enchidos, chouriços e doces de natal, que são uma grande tentação nestas festas em Portugal.

Dezembro: o mês da tentação

A dificuldade é que cada vez mais, o Natal não acontece apenas nos dias 24 e 25 de dezembro, mas o excesso de comida pode se espalhar durante todo o último mês do ano.

Cada vez mais se realiza jantares de fim de ano com amigos. As festas de Natal organizadas pelo local de trabalho também são cada vez mais frequentes. E, claro, não devemos esquecer da véspera de Ano Novo.

Para muitos, o consumo excessivo de calorias durante o mês do Natal é um fato. Quanto mais se tornar um hábito, mais difícil será voltar a uma clássica rotina alimentar depois que a temporada de feriados terminar.

Isto pode parecer óbvio, mas a melhor forma de controlar a sua dieta é ao ter atenção e não cair em tentação. Tente lembrar durante os dias antes e depois do Natal também é importante do ponto de vista psicológico, para apreciar plenamente este dia.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório