Meteorologia

  • 19 DEZEMBRO 2018
Tempo
MIN 7º MÁX 11º

Edição

Cinco óleos (mais ou menos comuns) e a melhor forma de utilizar cada um

Azeite virgem extra VS óleo de coco? As opções vão mais além dos que estas duas.

Cinco óleos (mais ou menos comuns) e a melhor forma de utilizar cada um
Notícias ao Minuto

11:00 - 02/11/18 por Mariana Botelho 

Lifestyle Ingredientes certos

O prato a cozinhar está escolhido. Dá-se um passo atrás e escolhe-se os melhores ingredientes para o compor. Mais um passo atrás e escolhem-se as bases para cozinhar cada ingrediente e é aqui que se define o óleo a cozinhar.

A gastronomia pode ser uma ciência, mas não tem de ser um ‘bicho de sete cabeças’, basta conhecer cada ingrediente as suas propriedades e melhores conjugações, tanto a nível nutricional como de sabor.

Explica o Consumer Reports que “é a composição dos diferentes tipos de gordura que fazem de cada óleo monoinsaturadas, poliinsaturadas ou saturada. É isto que importa e que varia dramaticamente de óleo para óleo”.

Neste sentido, importa explicar que as gorduras monoinsaturadas e poliinsaturadas são as que mais se associa a um baixo risco de obesidade, problemas cardiovasculares ou enfartes. São as chamadas ‘gorduras boas’, e podem ser encontradas em nozes, sementes ou óleos de plantas.

Estas opções devem pois ser preferidas às gorduras saturadas como a manteiga ou mesmo o óleo de coco, que nem sempre é o preferido, dependendo das quantidades e tipo de processo que será usado para cozinhar.

Este é o ponto que deve servir de base à escolha do óleo mais adequado. Quando há presença de elevados níveis de temperatura, deve-se preferir um óleo que apenas ‘queime’ a temperaturas bastante elevadas, como o óleo de coco, que não perde as suas propriedades quando exposto ao calor, como acontece por exemplo com o azeite. Já para pratos mais neutros, deve optar por óleos com um sabor mais forte.

Foram então apontados cinco dos óleos mais saudáveis, são lhe são agora apresentados para facilitar a escolha na hora de criar na cozinha.

Óleo de abacate: Tem um elevado ponto de ebulição, o que lhe permite ser usado em vários métodos de culinária dos quais se exclui as frituras muitos profundas. É também uma boa alternativa ao azeite mais comum, para quem não gosta do seu sabor.

Óleo de Canola: Tem um sabor bastante neutro, o que permite destacar o sabor dos restantes ingredientes, mesmo o de peixes mais delicados. Este óleo é ideal para cozeduras de calor médio

Azeite: é da azeitona que provém este óleo que é dos mais indicados para temperar saladas e outros pratos frios. Também em pratos quentes, como massa ou pratos de feijão, o azeite pode ser usado após todo o processo de confeção, para um toque final de sabor.

Óleo de cártamo: Mais uma boa opção para pratos que obriguem a elevadas temperaturas, este óleo proveniente de plantas serve também para processos de fritura.

Óleo de coco: É também melhor para pratos cujos ingredientes sejam expostos a altas temperaturas, contudo, por ser uma opção demasiado gorda, deve ser usado em moderação, contra o risco de problemas cardiovasculares. O que não lhe falta são opções alternativas.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba dicas para uma vida melhor!

Moda e Beleza, Férias, Viagens, Hotéis e Restaurantes, Emprego, Espiritualidade, Relações e Sexo, Saúde e Perda de Peso

Obrigado por ter ativado as notificações de Lifestyle ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório