"Este amor estava no tempo certo mas a morte chegou antes da felicidade"

Júlio Isidro fala da história de amor de Carlos Santos e Amélia Videira.

© Facebook_Júlio Isidro
Fama Júlio Isidro

Carlos Santos e Amélia Videira tinham o casamento marcado para dezembro mas, infelizmente, o ator morreu este domingo. Ainda assim, o casal viveu uma bonita história de amor, como Júlio Isidro contou nas redes sociais.

PUB

"O amor vem sempre a tempo. Tiveram um caso vai para 35 anos. Acabou ou ficou em suspenso a tempo de seguirem as suas vidas a representar outras vidas. Amadureceram, envelheceram e noutro palco da vida reencontraram-se. O horizonte temporal tinha encurtado, mas ainda havia tempo para amar, agora de forma diferente, laços sólidos de cumplicidade, gostos comuns e aquele amparas-me tu que eu também te amparo. A atriz e o ator levaram tão a sério os seus papeis, que decidiram mesmo dar o nó, papel assinado e trapinhos juntos. Casavam num filme a brincar que estavam a rodar e matrimoniavam-se no cartório em dezembro. Que felicidade transbordava nos olhos azuis dela e no sorriso aberto dele", começou por dizer o apresentador na sua página do Facebook.

Júlio Isidro disse ainda que tinha estado com os noivos há um mês e que "ficou com a certeza de que nunca é tarde para amar". Mas, infelizmente, a morte chegou antes do casamento.

"Este amor estava no tempo certo mas a morte chegou antes da felicidade consumada. Brutal, traiçoeira e sobretudo injusta. O Carlos Santos e a Amélia Videira não chegaram a casar e hoje, num velório discreto, os olhos azuis dela fingiam sorrir enquanto me recitava ao ouvido as últimas palavras com que se despediu do noivo: Alma minha gentil que te partiste.… Deus, onde estavas?", rematou.

COMENTÁRIOS REGRAS DE CONDUTA DOS COMENTÁRIOS