Meteorologia

  • 14 ABRIL 2021
Tempo
16º
MIN 15º MÁX 20º

Edição

"Papá, não quero ser preto": Como reagiu Matay às duras palavras do filho

"Sangrei por todo o lado. Parece que o corpo rebenta", conta o cantor, que aos seis anos foi vítima de racismo e sentiu exatamente o mesmo que o filho.

"Papá, não quero ser preto": Como reagiu Matay às duras palavras do filho

Matay esteve esta segunda-feira à conversa com Manuel Luís Goucha para uma entrevista sincera onde o músico abriu o 'livro' que conta a história da sua vida. 

"O que é que se sente quando um filho se chega ao pé de um pai e diz: 'papá, não quero ser preto'?", começou por questionar Goucha, recuperando uma revelação recente feita por Matay. 

"É duro, mas ao mesmo tempo tentamos não dar ênfase a essa situação", começa por responder o músico, que confessa ter ficado destroçado com este desabafo de um dos seus dois filhos. 

"Sangrei por todo o lado. Parece que o corpo rebenta", lamenta. 

"Quando pensamos nisto como uma forma de vida, e é, é assim que nós aprendemos a viver, com o peso daquilo que é a cor da nossa pele, e perceber que... bolas, com cinco anos ele já tem de fazer este caminho", acrescenta, passando a explicar como tentou passar ao filho uma mensagem positiva. 

"Tentei mostrar-lhe que não há nada de errado. Não há mal nenhum em tu teres a cor igual à do papá. Nós somos pretos e com orgulho", afirma.

Matay quis desconstruir o que o filho estava a sentir e dar-lhe as ferramentas necessárias para perceber que não tem motivos para não gostar da sua cor. 

"Aquilo que eu pretendo fazer com o meu filho primeiro é deixá-lo descontraído sobre este assunto e depois dar-lhe formação para ele conseguir responder a estas situações", defende.

Porém também o músico, atualmente com 35 anos, foi vítima de racismo e teve exatamente o mesmo sentimento que o filho quando tinha apenas seis anos. 

"Matay é nome de preto, preto das barracas", esta foi a frase que o marcou, dita por colegas da escola e à qual a professora reagiu com um sorriso. 

"Estava a ser humilhado e pior do que isso, era tudo normal",  recorda. "Isto é duro e ainda hoje é duro. E hoje é o meu filho a passar por isto", reforça, terminando esta entrevista afirmando que, infelizmente, Portugal ainda é um país racista. 

Reveja aqui as emotivas palavras de Matay. 

Leia Também: Daniel Kaluuya lança farpa a família real britânica

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as notícias dos famosos, realeza, moda e as mulheres mais elegantes.

O mundo das celebridades com fotos, vídeos e noticias de atores, atrizes e famosos.

Obrigado por ter ativado as notificações de Fama ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório