Meteorologia

  • 18 AGOSTO 2018
Tempo
28º
MIN 28º MÁX 28º

Edição

Petróleo: Agência Internacional revê em alta previsão de procura em 2018

A Agência Internacional de Energia (AIE) reviu ligeiramente em alta a previsão de procura global de petróleo para este ano e alertou, num relatório publicado hoje, para as consequências da queda dos custos da produção nos Estados Unidos.

Petróleo: Agência Internacional revê em alta previsão de procura em 2018
Notícias ao Minuto

19:59 - 13/02/18 por Lusa

Economia Relatório

No relatório mensal sobre o petróleo, a AIE insistiu que os fundamentos do mercado são menos favoráveis para manutenção da tendência altista do preço do barril, que chegou nos últimos meses a alcançar os 70 dólares, essencialmente devido à evolução dos Estados Unidos e, em particular, os depósitos de xisto.

Os autores do estudo aumentaram as suas expectativas sobre a procura de petróleo para uma média de 99,2 milhões de barris diários em 2018.

Isto significa 100.000 barris diários a mais do que tinham antecipado em janeiro, em linha com as perspetivas económicas mais favoráveis do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Também sublinham que, com estes números, a subida do consumo mundial será de 1,4 milhões de barris suplementares por dia, comparativamente a 2017, quando o aumento foi de 1,6 milhões face a 2016.

Além disso, o aumento da extração de produtores que não pertencem à Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPE), em particular dos Estados Unidos, está no bom caminho para compensar o aumento da procura.

A esse respeito, a Agência Internacional de Energia sublinhou que até novembro e em apenas três meses os Estados Unidos aumentaram em 846.000 barris diários a sua produção, um número "colossal" que levará o país "em breve" a superar a Arábia Saudita e "para finais deste ano" poderá também tornar-se "o número um" mundial, acima da Rússia.

Por trás desta evolução está a redução radical dos custos de produção das empresas que operam nos Estados Unidos, que foi incentiva pelo aumento do preço do barril.

A AIE estima que a subida anual do bombeamento de crude nos Estados Unidos poderá ser equivalente a 1,4 milhões de barris diários.

Por outro lado, as reservas industriais de petróleo dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) registaram em dezembro a maior queda mensal desde fevereiro de 2011, de 55,6 milhões de barris, para 2.851 milhões de barris.

Os autores do estudo salientaram que os equilíbrios do mercado petrolífero podem mudar nos próximos meses com a deterioração da situação na Venezuela, que em dezembro e janeiro produziu unicamente 1,61 milhões de barris diários, muito abaixo do que autoriza o acordo da OPEP.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Acompanhe o site eleito pelo segundo ano consecutivo Escolha do Consumidor.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhoras dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório

Os cookies ajudam-nos a melhorar a sua experiência como utilizador.

Ao utilizar o nosso website, está a aceitar o uso de cookies e a concordar com a nossa política de utilização.