Meteorologia

  • 18 OUTUBRO 2021
Tempo
28º
MIN 16º MÁX 28º

Edição

Défice ficou nos 1,2% mas poderia ter sido o dobro

O Fórum para a Competitividade estima que o défice orçamental tenha ficado em 1,2% do PIB em 2017, mas que podia ter sido o dobro se o Governo tivesse investido o previsto e excluindo medidas temporárias.

Défice ficou nos 1,2% mas poderia ter sido o dobro
Notícias ao Minuto

14:36 - 02/02/18 por Lusa

Economia Fórum

Na nota de conjuntura divulgada hoje, o Fórum para a Competitividade afirma que "o défice orçamental de 2017 deve-se ter fixado em 1,2% do PIB [Produto Interno Bruto], mas, sem os efeitos temporários e o investimento público muito abaixo do orçamentado, o défice teria sido 2,4% do PIB".

Segundo o economista Joaquim Miranda Sarmento, do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG), que assina a análise do Fórum sobre a execução orçamental do conjunto do ano passado, os efeitos temporários renderam ao Estado 1.100 milhões de euros.

Entre estes efeitos estão os dividendos do Banco de Portugal, os juros para o Estado dos CoCo's (conversão para capital das obrigações contingentes) e as contribuições especiais de alguns setores, entre outros.

Além desta receita temporária, o Fórum para a Competitividade afirma que a despesa de capital (investimento) que não foi realizada - e que estava prevista para o ano passado - permitiu poupar 1.200 milhões de euros.

Estas duas questões somadas permitem reduzir o défice em mais de 1,2% do PIB, lê-se na nota do Fórum, onde se sublinha que "muito do sucesso" do défice abaixo das metas "passou por este controlo do investimento público".

Na nota de hoje, o Fórum para a Competitividade estima ainda um ligeiro abrandamento da economia no quarto trimestre em termos homólogos, ao crescer entre 2,3% e 2,4% nos últimos três meses de 2017 face ao mesmo período de 2016 (no trimestre anterior tinha crescido 2,5% em termos homólogos).

"Para isto terá contribuído algum abrandamento nos setores do comércio e serviços, uma certa estabilização na construção e uma ligeira melhoria na indústria transformadora", lê-se na nota.

Por outro lado, o PIB terá acelerado ligeiramente em cadeia no quarto trimestre, ao avançar entre 0,6% e 0,7% entre outubro e dezembro, depois de nos três meses anteriores ter subido 0,5%.

Em termos anuais, o Fórum para a Competitividade estima um crescimento do PIB de 2,7%.

No conjunto deste ano, a economia deverá abrandar ligeiramente, com o Fórum a prever que o PIB avance entre 2,2% e 2,4% em 2018 e que o desemprego continue a cair.

Recomendados para si

Seja sempre o primeiro a saber.
Quinto ano consecutivo Escolha do Consumidor para Imprensa Online.
Descarregue a nossa App gratuita.

Apple Store Download Google Play Download

Receba as melhores dicas de gestão de dinheiro, poupança e investimentos!

Tudo sobre os grandes negócios, finanças e economia.

Obrigado por ter ativado as notificações de Economia ao Minuto.

É um serviço gratuito, que pode sempre desativar.

Notícias ao Minuto Saber mais sobre notificações do browser

Campo obrigatório